PUBLICIDADE

Topo

Mudanças na alimentação podem reduzir sintomas de intestino irritável

byakkaya/IStock
Imagem: byakkaya/IStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo*

02/10/2018 09h47

Alimentos comuns no dia a dia dos brasileiros, como feijão, leite e derivados, frutas e mel possuem alguns tipos de carboidratos que são mal absorvidos pelos seres humanos devido ao seu pequeno tamanho, alta absorção de água e velocidade com que eles são fermentados pela microbiota intestinal.

Estes carboidratos, conhecidos como FODMAP (oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e poliois fermentáveis), causam dor abdominal, diarreia, constipação e inchaço, sintomas comuns da síndrome do intestino irritável (SII).

Realizada pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP (Universidade de São Paulo), uma nova pesquisa aponta que uma dieta com baixo teor de FODMAP melhora a vida dos pacientes com esta condição que atinge mais de 2 milhões de pessoas por ano só no Brasil. 

O principal objetivo do estudo foi identificar as características e os riscos da dieta com baixo teor de FODMAP para pacientes com síndrome do intestino irritável. 

VEJA TAMBÉM:

Dieta

Durante a pesquisa, foi identificado que a dieta pobre em FODMAP consiste em duas fases. Na primeira, os carboidratos associados aos sintomas foram reduzidos ou eliminados. Na segunda, os grupos eliminados foram gradualmente reintroduzidos de acordo com a sintomatologia apresentada.

Os pesquisadores concluíram que a dieta com baixo teor de FODMAP, que restringe a ingestão de certos alimentos, leva a uma melhoria significativa nos sintomas dos pacientes com síndrome do intestino irritável. No entanto, algumas deficiências nutricionais podem ocorrer, se houver orientação nutricional inadequada, destacando a necessidade de manejo dietético adequado.

*Com informações do Jornal da USP e da Assessoria de Comunicação da FSP

UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube