PUBLICIDADE

Topo

Movimento

Inspiração pra fazer da atividade física um hábito


Movimento

Já malhou seu cérebro hoje? Fazer exercício rejuvenesce o órgão, diz estudo

Atividade física melhora capacidade de resolver problemas e processar informações - iStock
Atividade física melhora capacidade de resolver problemas e processar informações Imagem: iStock

Do VivaBem em São Paulo

01/06/2018 11h55

Não é novidade para ninguém que o exercício é bom para o corpo, e há evidências crescentes de que ficar fisicamente ativo pode ajudar a retardar o declínio normal na função cerebral que vem com a idade. Grupos de saúde recomendam que os adultos tentem pelo menos 150 minutos de atividade moderada a intensa por semana para manter seus corações saudáveis - mas será que é a mesma quantidade necessária para manter o cérebro ativo?

Em um novo estudo publicado na revista Neurology, os pesquisadores da Universidade de Miami Miller School of Medicine, nos Estados Unidos, decidiram encontrar uma receita de exercício para o cérebro. Os pesquisadores examinaram quase 100 estudos existentes que conectaram exercícios com mais de 122 diferentes testes de função cerebral.

Veja também: 

Mais de 50 horas de exercícios

Com base em dados que incluíram mais de 11 mil pessoas idosas, eles descobriram que os indivíduos que se exercitaram cerca de 52 horas durante um período de cerca de seis meses mostraram as maiores melhorias em vários testes de raciocínio e velocidade. Em média, as pessoas se exercitam por cerca de uma hora, três vezes por semana.

E o efeito aplicado a pessoas sem declínio cognitivo, bem como àquelas com déficit cognitivo leve ou demência. "Eu não acho que 52 horas é realmente um número mágico. Existe realmente um intervalo. Mas eu penso que estes resultados significam para nós que para obter os benefícios conhecidos do exercício para o cérebro, para ajudar áreas envolvidas no pensamento e na resolução de problemas - para conseguir que o maquinário funcione, você precisa de mais exposição ao exercício”, afima Joyce Gomes-Osman, uma das autoras do estudo.

As pessoas no estudo mostraram as melhorias mais fortes em sua capacidade de resolver problemas e processar informações.O efeito não foi tão robusto nos testes de memória, mas Gomes-Osman observa que as funções cerebrais mais complexas, do raciocínio e velocidade de processamento até a lembrança, estão relacionadas. “Há uma sobreposição entre poder gerenciar tempo, prestar atenção e fazer tarefas de memória.”

Isso pode apoiar ainda mais a ideia de que, para a saúde do cérebro, o efeito global e cumulativo da atividade física é o que é importante. Além disso, a atividade física afeta o cérebro de várias formas diferentes, desde a preservação da rede nervosa do cérebro que começa a diminuir com a idade, ao aumento da função dos neurônios e à melhoria do fluxo sanguíneo para as células cerebrais. 

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook • Instagram • YouTube

Movimento