PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

OMS indica Pfizer para adolescentes, mas pede prioridade a grupos de risco

Recipientes com vacinas da Pfizer em Toronto - Carlos Osorio/Reuters
Recipientes com vacinas da Pfizer em Toronto Imagem: Carlos Osorio/Reuters

Da EFE, em Genebra

08/07/2021 07h38Atualizada em 08/07/2021 09h57

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou nesta quarta-feira a vacina Pfizer-BioNTech contra a covid-19 para menores de 16 anos, após ter se mostrado eficaz em testes realizados dentro dessa faixa etária, mas pediu que os grupos de risco tenham prioridade na administração do imunizante.

A chefe da Unidade de Imunizações da OMS, Anne Lindstrom, destacou em entrevista coletiva que a recomendação foi emitida hoje pelo SAGE, o Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas da organização.

"A vacina é segura e eficaz nesta população, embora aqueles que mais sofrem com a doença ainda sejam os adultos e certos grupos médicos em risco", lembrou a especialista.

"É verdade que pode ser utilizada, mas primeiro é preciso considerar a oferta limitada e, antes de estender a vacinação à população pediátrica, pode-se pensar em compartilhar as doses com o consórcio Covax ou outros mecanismos para levá-las a outras partes do mundo onde as vacinas são muito mais necessárias", acrescentou.

A OMS tem defendido nos últimos meses uma melhor distribuição das vacinas contra a covid-19 para garantir que até o final de setembro pelo menos 10% da população mundial esteja imunizada (priorizando profissionais de saúde e grupos de risco) e que esse número chegue a 40% no final do ano.

Finalmente, a OMS considera que, até meados de 2022, 70% da população mundial deveria ter sido vacinada contra a covid-19, uma porcentagem que se estima ser o mínimo necessário para atingir a imunidade de grupo.

Saúde