PUBLICIDADE

Topo

Verônica Laino

Precisa mesmo excluir o pão da dieta para emagrecer?

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Verônica Laino

Verônica Laino é formada em nutrição pela USP (Universidade de São Paulo), pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva Funcional e coach de emagrecimento. Trabalhou em clínica particular por sete anos e hoje dedica seu tempo aos seus coachees e a? produc?a?o de conteu?do online, mi?dias sociais e eventos, como forma de alcanc?ar cada vez mais pessoas e ajuda?-las a levar uma vida pra?tica, sauda?vel, balanceada e gostosa.

Colunista do UOL

19/04/2022 04h00

Uma das primeiras coisas que as pessoas excluem no processo de emagrecimento é o pão. Mas será que ele é esse vilão todo?

O pão é feito do trigo, que é um cereal fonte de carboidrato, assim como o arroz e milho. Em uma dieta balanceada, temos que ter fontes de carboidrato, por isso o consumo do pão não precisa ser proibido, mas sim equilibrado com outros alimentos para que a refeição fique completa.

O primeiro passo ao incluir o pão na rotina é focar em qual tipo você vai incluir. Os melhores são os pães de fermentação natural, que são melhor digeridos pelo nosso corpo. Depois entram os pães caseiros e o francês de padaria, considerados alimentos minimamente processados, compostos de farinha de trigo, água, sal e fermento biológico. Por não levar aditivos químicos e/ou conservantes na sua composição, são considerados produtos saudáveis e podem ser incluídos tranquilamente na alimentação.

Já os pães de forma, que compramos nos supermercados, são alimentos ultraprocessados, pois levam aditivos artificiais para que a vida na prateleira seja longa. Esses alimentos podem ser incluídos na rotina, porém não podem ser a base da alimentação.

Dentro desses tipos que citei temos a versão tradicional e a integral. Claro que a integral vai ser mais nutritiva, pois usa o grão inteiro e possui fibras, o que aumenta a sensação de saciedade da refeição. No entanto, se você acha mais gostoso o branco, não precisa se obrigar a comer o integral, basta incluir fibras e nutrientes na refeição, adicionando legumes e verduras.

Para criar essa refeição balanceada, basta fazer uma comparação com um prato de comida, por exemplo. Normalmente, consumimos arroz com alguma carne e vegetais. Para montar uma refeição com pão, vamos substituir o arroz pelo pão e manter a carne e os vegetais. O foco sempre vai ser pensar em qual proteína e vegetal você vai incluir junto com o pão.

Vamos supor que você quer consumir pão pela manhã. Uma boa ideia seria fazer um refogado com cebola, tomate e ovos mexidos. Se for um lanche prático para o almoço, você pode fazer um patê com atum e cenoura ralada —para o pão não ficar molengo, na hora de montar, coloque uma fatia de pão, uma folha de alface (seque bem a folha com papel toalha), coloque o patê, mais uma folha de alface e a outra fatia do pão, dessa forma o alface impede que o pão absorva a umidade do patê. No jantar dá até para fazer algo mais elaborado, como um hambúrguer caseiro (feito apenas com carne moída e temperos naturais) acompanhado de alface e tomate.

O que não podemos é comer apenas o pão sozinho, sem nenhum acompanhamento, pois dessa forma a refeição fica pobre em nutrientes e apenas fonte de carboidrato. Por isso não foque em cortar seu pão, mas sim em balanceá-lo com alimentos nutritivos.