PUBLICIDADE

Topo

Fernando Guerreiro

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Exercícios na gravidez não geram risco e trazem benefícios; veja alguns

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Fernando Guerreiro

Fernando Guerreiro é formado em educação física e especializado em treinamento funcional. Atleta amador, já completou ultramaratonas e triatlos, e é também head coach da We Move Brasil, equipe de treino especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Colunista do VivaBem

14/08/2021 04h00

Você já viu uma gestante treinando e ficou em dúvida se ela realmente deveria estar fazendo aquilo? Em situações assim, ainda é comum algumas pessoas fazerem perguntas do tipo para as futuras mamãe: "Isso não vai fazer mal para o bebê?!"; "O esforço não pode provocar um aborto?"

Esses questionamentos (e preconceitos) podem gerar medos e desestimular a mulher de fazer exercícios na gravidez. Para não deixar dúvidas do quanto é saudável a atividade física durante a gestação, conversei com o médico ginecologista e obstetra Fabiano Elisei Serra* —que inclusive foi o médico responsável pela gestação e parto do meu filho.

Segundo Serra, a ciência evolui muito e a gravidez de baixo risco —ou sem complicações— passou a ser levada com mais tranquilidade e leveza (mas não com menos segurança). Praticar atividade física leve na gestação (com orientação e os devidos cuidados) não traz risco à mulher, não causa danos ao feto nem leva ao trabalho de parto prematuro.

Além de não haver perigo, saiba que são muitos os benefícios da prática de exercícios físicos durante a gestação. Selecionei alguns:

  • Melhora do condicionamento muscular e cardiovascular, garantindo que a mulher tenha força e resistência para realizar todas suas atividades do dia a dia ao longo da gestação;
  • Ajuda no controle de doenças como pré-eclâmpsia e diabetes gestacional;
  • Diminui o estresse, a ansiedade e a depressão, problemas que costumam surgir ou se agravar na gestação;
  • Aumenta as chances de parto normal, por fortalecer a região pélvica e aumentar a tolerância a dor;
  • Acelera o retorno da mãe às atividades habituais e ao peso normal após o nascimento do bebê.

Cuidados ao treinar

O primeiro cuidado é fazer uma avaliação com seu ginecologista/obstetra. O especialista irá analisar se a gravidez não é de risco e liberar a mulher para realizar exercícios físicos. Depois, é preciso ter a orientação de um profissional de educação física, que com base nas recomendações do médico irá definir qual o melhor plano de treino para a gestante.

É indicado que a gestante pratique pelo menos 150 minutos de exercícios leves por semana, divididos em três a cinco treinos. Para as que não têm o hábito de se exercitar e estão sedentárias, o início deve ser gradual, com seções de 15 minutos, três vezes na semana, até conseguir evoluir para os 150 minutos semanais.

Atividades recomendadas para gestantes saudáveis (inclusive as que nunca treinaram):

  • Caminhada;
  • Hidroginástica;
  • Natação;
  • Dança;
  • Pilates;
  • Ioga.

Exercícios na água tendem a ser os mais recomendados porque têm pouco impacto, preservando a coluna e outras articulações de dores. Essas atividades ainda têm o benefício de promover relaxamento e diminuição do inchaço. A temperatura ideal da água é entre 28°C e 30°C.

Gestantes que já têm um histórico de treino e estão acostumadas a fazer exercícios regularmente poderão ser liberadas pelo médico para atividades físicas um pouco mais intensas, como corrida, treinamento funcional, musculação etc. É importante lembrar que mesmo nessas modalidades os treinos deverão ser adaptados, a fim de se produzir menos impacto e evitar lesões ou problemas na gestação.

Não é recomendado nenhum tipo de exercício que leve a gestante à exaustão, pois isso pode prejudicar a oxigenação materna e, consequentemente, fetal. Tenha em mente que não é o momento de pensar em performance e, sim, em saúde.

Modalidades como futebol, voleibol, basquetebol, handebol, hipismo e ciclismo devem ser evitados, pois trazem um risco maior de pancadas e quedas.

Se houver qualquer problema durante a prática, não deixe de comunicar seu médico para esclarecer dúvidas e, se necessário, busque ajuda em um pronto-socorro.

Minha esposa recebeu todas essas informações do Dr. Serra no início da gestação, o que foi muito esclarecedor e permitiu que a gravidez dela fosse incrível, com muita leveza e saúde.

*Fabiano Elisei Serra (CRM 154450)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL