PUBLICIDADE

Topo

Fernando Guerreiro

5 passos para a felicidade constante

iStock
Imagem: iStock
Fernando Guerreiro

Fernando Guerreiro é formado em educação física e especializado em treinamento funcional. Atleta amador, já completou ultramaratonas e triatlos, e é também head coach da We Move Brasil, equipe de treino especializada em desenvolver um estilo de vida saudável e transformador.

Colunista do VivaBem

09/01/2021 04h00

Para você o que é felicidade? Você tem conceito definido disso?

Será que é possível alcançar a felicidade e, depois dessa conquista, manter-se continuamente em estado de felicidade?

O que a ciência diz é que sim, é possível. Estudos constataram que comportamento e visão de mundo são os fatores principais no processo de como ser feliz.

Quanto maior for o nível de satisfação, maior será o nível de felicidade, e isso se constrói pouco a pouco, com passos de transformação que aumentam seu nível de satisfação.

O que é o conceito de felicidade para a ciência?

Mesmo com os desafios do dia a dia, é possível viver mais do que apenas momentos bons e alegres, esse status pode ser mantido continuamente por meio da mudança de hábitos e do modo de enxergar as situações por outros prismas.

Algo interessante é que a felicidade não é medida por meio de bens materiais ou de outro indivíduo e, sim, dentro de si mesmo. É uma avaliação pessoal. Nessa concepção, uma pessoa que mantém pensamentos e atitudes otimistas, mesmo perante as adversidades, se torna mais feliz, realizada e consegue superar os conflitos com mais rapidez e eficiência. O foco central deve ser sempre os pontos benéficos e que proporcionam bem-estar.

De uma forma simples e prática você pode começar uma vida de felicidade com 5 atitudes:

1. Programe atividades diárias que promovem prazer

Exercite sua mente para enxergar com mais intensidade sentimentos como esperança, alegria, gratidão e paz, em todos os âmbitos.

Como em um treino, para ter resultados é necessário criar rotina, hábitos em que você consiga valorizar essas situações com mais frequência.

Você pode aplicar isso analisando três pontos:

  • O passado - sempre terá coisas boas ou ruins para lembrar, foque sua mente nas experiências boas.
  • O presente - que pode ser produtivo ou improdutivo, crie uma lista de ações que deve executar com prioridade no dia a dia.
  • O futuro - pode ser positivo ou negativo; traga uma visão de esperança, alegria e paz para suas ações futuras.

2. Seja produtivo

Você sabe sua missão de vida? Já parou para questionar isso? Desafie-se a experimentar um dia a dia com mais engajamento, motivação e dedicação, seja intencional em tudo o que fizer. Supere sua zona de conforto e vá além nas suas metas e objetivos.

3. Tenha uma causa para lutar

Ser relevante nos ambientes em que você vive é um fator determinante de felicidade, pessoas que vivem por um legado são mais felizes e têm mais determinação em construir uma vida de felicidade.

Você já parou para pensar que legado deixará? Analise como você pode contribuir com os ambientes que você convive. Ao contribuir com o meio, você vive seu próprio crescimento, gerando resultados positivos que impulsionarão sua felicidade.

4. Seja grato

A gratidão nesse ponto é algo mais profundo do que agradecer por algo que você possui no momento. É ir ao fundo das lembranças e trazer a força de algo que o marcou e o fez ser grato por aquilo. Você pode criar uma ferramenta poderosa e mais pontual fazendo no final dia uma lista com cinco coisas pelas quais você é agradecido. Isso ajudará a desenvolver uma visão de mundo mais próspera e realizada.

5. Aproveite o aqui e agora

Cada experiência da sua vida é diferente e única, isso deve ser valorizado. Trabalhe a imersão em cada experiência, das maiores às menores. Sempre que estiver vivendo um tempo feliz e saudável, foque nas sensações que você recebe enquanto realiza essa atividade.

Sentir e memorizar o que está vivendo ajudará a construir sua lista de gratidão também.

Aproveite o que cada experiência gera em você, sinta e memorize intensamente as emoções que são transmitidas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL