Topo

Viagem


Intoxicação alimentar em resorts: pesquisa mostra os piores lugares

iStock
Imagem: iStock

do UOL

22/08/2019 08h36

Viajar pode se transformar em uma preocupante questão de saúde quando o assunto é intoxicação alimentar. Para verificar o índice da incidência da doença, a empresa Sick Holiday e a empresa de intolerância alimentar YorkTest realizaram uma pesquisa que listam os 10 piores lugares com resorts neste quesito.

Os números coletados são referentes a casos relatados e adquiridos entre 2017 e 2018. Segundo o estudo, a intoxicação alimentar mata 420 mil pessoas por ano em todo o mundo (em casos gerais) e 600 milhões de pessoas por ano são afetadas por ela.

"Os níveis de doença de férias que vemos em certos locais são muito preocupantes", afirma Richard Conroy, da Sick Holiday. A empresa tem como objetivo ressarcir os gastos de viajantes afetados por intoxicação alimentar adquirida durante viagens em resorts pelo mundo. A intenção é que, com multas e infrações, os locais mudem as estruturas de higiene e evitem a propagação de doenças.

Confira a seguir o ranking dos lugares com resorts mais comprometidos com intoxicação alimentar pelo mundo:

Vista de resort em Hurghada, no Egito - 1º lugar no ranking com mais incidência de intoxicação alimentar  - iStock
Vista de resort em Hurghada, no Egito - 1º lugar no ranking com mais incidência de intoxicação alimentar
Imagem: iStock

1. Hurghada, Egito - 380 casos (de 2017 a 2018)
2. Punta Cana, República Dominicana - 211
3. Riviera Maya, México - 182
4. Antália, Turquia - 108
5. Cancún, México - 95
6. Boa Vista, Cabo Verde - 84
7. Marrakesh, Marrocos - 83
8. Ilha do Sal, Cabo Verde - 68
9. Maiorca, Espanha - 66
10. Benidorm, Espanha - 62

Litoral de Benidorm, na Espanha - 10º lugar no ranking - iStock
Litoral de Benidorm, na Espanha - 10º lugar no ranking
Imagem: iStock

Dr. Gill Hart, diretor científico da YorkTest, faz um alerta para que os turistas sejam mais vigilantes em áreas de alto risco, já que ataques de intoxicação alimentar podem causar efeitos colaterais que perduram após a doença.

"A intoxicação alimentar pode arruinar muito mais do que uma semana ao sol. Uma crise particularmente desagradável pode se transformar em intolerâncias alimentares de longo prazo, cujos sintomas podem incluir fadiga, dores de cabeça, inchaço e enxaquecas", esclareceu Hart.

Richard Conroy, da Sick Holiday, explica que um dos principais fatores que colaboram para a propagação das condições da intoxicação alimentar é o calor. "O tempo quente traz seus perigos. As altas temperaturas são excelentes para o crescimento de bactérias nocivas", completou.

"Nós lidamos com clientes que desenvolveram dor nas articulações incapacitantes por causadas por salmonelas e pessoas que desenvolveram síndrome do intestino irritável pós-infecciosa persistente após a exposição à salmonela ou Escherichia coli", revela Conroy.

Mais Viagem