Conteúdo publicado há 1 mês

Polícia confirma estupro de turista na Lapa, mas cita só um autor do crime

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu que uma turista estrangeira foi estuprada em uma boate na Lapa, em 31 de março. Porém, o inquérito aponta apenas um autor do crime. Na época, a mulher havia afirmado que sofreu um estupro coletivo.

O que aconteceu

O exame de corpo de delito confirmou o estupro. "As oitivas apontaram que houve apenas um autor do crime", diz a nota.

A investigação foi encerrada após 11 dias. Testemunhas foram ouvidas e imagens e laudos técnicos foram analisados, informou a Polícia Civil em nota divulgada nesta sexta-feira (12).

O relatório foi enviado ao Ministério Público do Rio com o indiciamento do homem por estupro de vulnerável. A Polícia Civil pediu a prisão do suspeito, que não teve a identidade divulgada.

Relembre o caso

A estrangeira, de 25 anos, procurou a polícia para denunciar que sofreu um estupro coletivo. Ela relatou que o crime ocorreu em uma casa noturna na madrugada de 31 de março.

Homens esperavam vítima em sala reservada, afirmou a mulher à polícia. A vítima foi à boate Portal Club Rio, na Lapa, com uma amiga e entrou em um "dark room" com um homem que conheceu no local. Dentro da sala, ela foi violada por outros homens, informou em depoimento.

Vítima contou que perdeu a consciência. A estrangeira disse à polícia que não sabe se algo foi colocado na bebida dela e não soube precisar quantos homens cometeram a violência.

Funcionários da boate tentaram convencê-la a não denunciar ocorrência, disse vítima. A estrangeira disse que encontrou a amiga após retomar consciência e buscou representantes da casa noturna para narrar o ocorrido. "Funcionários da boate, inclusive seguranças, tentaram dissuadi-la da intenção de ir à delegacia", afirmou a deputada Renata Souza em nota enviada ao UOL.

Continua após a publicidade

A boate Portal Club Rio informou que forneceu as imagens para a investigação. "Será provado todo o apoio que prestamos à vítima, juntamente com os dados dos clientes presentes no dia, que tenham colocado o nome na lista ou comprado ingresso antecipadamente. Estamos comprometidos com a busca pela verdade e desejamos que os responsáveis sejam devidamente punidos", disse em nota.

Outra vítima

No dia seguinte, surgiu a denúncia de uma segunda mulher. Ela também disse que foi estuprada dentro da boate Portal Club, na Lapa.

O outro caso de violência sexual ocorreu no dia 11 de novembro de 2023, contou a vítima. A mulher, que preferiu não ser identificada, conversou com o UOL e contou que havia ido ao local para assistir um show de pagode. Ele relembrou que o evento era open bar, com bebida liberada. "Fui me divertir em um dia vago", disse.

Ela contou que um homem já a havia importunado ao longo da noite, mas que conseguiu se afastar. "O DJ estava tocando e já tinha esse cara me importunando, me afastei, fui para o lado de um bombeiro e um segurança que não fizeram nada", relatou.

Ao fim do show, ela decidiu ficar um pouco mais na casa noturna. "Resolvi ficar para curtir um pouco sozinha o DJ. Tomei um pouco de álcool, comi algo no local e fui ao banheiro. Lembro que apaguei", acrescentou.

Continua após a publicidade

A mulher diz que acordou atordoada em um "dark room", um quarto escuro dentro da boate, com um homem na sua frente. Ela estava sem calça e sem calcinha. Ela lembrou que foi ao banheiro e percebeu que havia um líquido saindo de sua vagina. "Tinha acabado de acordar, estava uma barulheira, desci, peguei minhas coisas na chapelaria e, quando estava indo embora, uma funcionária me perguntou se eu tinha consciência de onde estava. Falei que não. Foi aí que ele me disse que eu havia saído de um dark room. Eu respondi e disse que nunca entraria nesse tipo de local", destacou.

Em relação ao segundo caso, a boate disse na época que "nunca tomou conhecimento da ocorrência". A casa noturna declarou em nota que não foi procurada pela polícia ou pela vítima. Afirmou ainda que estava à disposição "para colaborar com as investigações".

Deixe seu comentário

Só para assinantes