PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Neymar e Bruna: por que questionam se jogador segue 'padrão' de parceira?

Neymar e a namorada Bruna Biancardi em foto publicada por ela no Instagram no domingo - Reprodução/Instagram
Neymar e a namorada Bruna Biancardi em foto publicada por ela no Instagram no domingo Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa, em São Paulo

26/04/2022 17h53

Em um mundo em que cada foto a dois publicada no Instagram é como se o casal subisse um degrau no compromisso, o registro de Neymar com a influenciadora Bruna Biancardi vale milhões. No domingo (24), ela postou uma publicação com o jogador de futebol —a imagem angariou quase 1,5 milhão de curtidas— com a legenda "Love You" ("Amo você"). No Twitter, Neymar e Bruna juntos suscitaram não só mensagens de apoio ao relacionamento: seguidores questionaram por que o atleta segue um "padrão" de parceiras, fazendo referência à aparência da atual e a da ex, a atriz Bruna Marquezine.

Para a psicanalista Claudia Dem, se relacionar com pessoas que são parecidas fisicamente têm um quê de "buscar aquilo que é familiar, que é confortável". A procura, no entanto, não segue a mesma lógica para quem se identifica como homem e como mulher, diz, já que, dentro da construção social, elas são ensinadas a valorizar mais elementos da personalidade do que os atributos físicos do pretendente.

A psicóloga Mariana Luz diz que outro fator pesa na vida amorosa dos famosos: o de que a pessoa com que eles estão se relacionando também ficará sob escrutínio da mídia e dos fãs. Aí, repetir os critérios de escolha e tentar manter relacionamentos com pessoas mais próximas do padrão de beleza vigente faz mais sentido para eles.

Mas, afinal, o que há por trás desse "minha atual é parecida com a minha ex", pelo que Neymar está sendo avaliado?

Existe padrão de parceira?

Pouco se sabe sobre o relacionamento de Neymar e Bruna Biancardi (há rumores de que estão usando aliança de compromisso). Fato é que assim que o jogador e a influenciadora passaram a publicar uma ou outra foto juntos e a internet presumiu que eles são um novo casal, surgiu o questionamento sobre Bruna ser parecida com Bruna Marquezine.

Claudia Dem avalia que há vários fatores que fazem com que uma pessoa seja atrativa para a outra. O estilo, o perfil físico e os interesses pessoais fazem parte desse pacote. Repetir padrões, assim, faz parte de uma tentativa de viver coisas parecidas e se sentir "confortável" na relação amorosa. "É a procura inconsciente pelo que é familiar. Só que o homem foi criado para valorizar a aparência e a mulher, a personalidade."

Mariana Luz acrescenta que, seja no 'match' dos famosos ou dos anônimos, é relevante levar em conta que também nos relacionamos considerando o que os outros vão pensar daquele parceiro ou daquela parceira.

A gente não pode se iludir. Aprendemos quais padrões estéticos são interessantes e que vão trazer um reconhecimento social do tipo: 'Está namorando um bonitão, uma bonitona'. Temos esses padrões, do corpo magro, cabelos lisos, pele branca.

"E vamos levar essa bagagem na hora de nos relacionar. Digo que tudo pode ser bom ou ruim, mas ficar preso a isso pode ser ruim, porque, por exemplo, um aplicativo de relacionamentos pode trazer outras possibilidades fora desse padrão. E aí, se todo mundo se abre, pode encontrar pessoas interessantes", explica Mariana.

Como estamos sob a cultura de que o corpo magro, branco e de cabelos lisos, ou seja, com traços europeus, é mais valorizado do que outros, o esforço para entender que há outras pessoas interessantes disponíveis cabe a cada um que está no jogo do amor e da paixão.

Para homens, devido ao machismo, rever os critérios de escolha de um parceiro e, principalmente, parceira, vai além, comenta a psicóloga. "Se o homem é ensinado a se preocupar em estar com a 'gostosona', não vai se preocupar com o que a pessoa tem dentro. Então, vai seguir repetindo os padrões que sempre teve."

Mesmos "tipos de pessoa"? O que isso diz sobre você

Ok, talvez você se preocupe em manter os mesmos "tipos de pessoa" dentro da sua vida amorosa. A psicóloga nos tranquiliza. "Padrões de interesse devem ser respeitados e os aplicativos, por exemplo, estão aí para você não perder tanto tempo, se colocar uma descrição honesta. Em um bar, balada, ônibus, você pode estar flertando com um homem que é muito diferente de você, pode haver mais desencontro."

No caso de Neymar, Mariana avalia que há ainda o elemento "o que o mundo vai pensar de mim". "Dificilmente os artistas vão fugir de um padrão, apesar de a gente não poder descontar o gosto pessoal de cada um. Mas, para eles, como Neymar e Kanye West [o rapper foi visto com uma parceira parecida com sua ex-esposa, Kim Kardashian], há uma preocupação sobre o que a mídia vai falar. Não deveria ter, mas acontece."

E na nossa vidinha de anônimo? Claudia e Mariana avaliam que questões de autoconhecimento e de reconhecimento do que é estabelecido como "bonito" podem retirar o peso das costas que temos por "repetir" parceiros.

"Há um peso social nessa escolha, mas não podemos viver em função disso, porque aí tira os olhos de nós mesmos", defende a psicóloga. "Isso de a atual ser parecida com a ex também tem uma questão de energia, de a pessoa ser um pouco espelho do que somos. É até uma ideia narcisista. Variar esse padrão, assim, pode gerar um momento de autoconhecimento interessante", explica a psicanalista.

Relacionamentos