PUBLICIDADE

Topo

Médico preso no RS é denunciado por crimes sexuais contra 18 mulheres

Klaus Wietzke Brodbeck, cirurgião plástico foi acusado pelo MPRS - Reprodução/TV Globo
Klaus Wietzke Brodbeck, cirurgião plástico foi acusado pelo MPRS Imagem: Reprodução/TV Globo

De Universa, em São Paulo

03/09/2021 22h05Atualizada em 03/09/2021 22h05

O cirurgião plástico Klaus Wietzke Brodbeck foi denunciado pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul por crimes sexuais contra 18 mulheres. Ele é acusado de ter cometido uma série de abusos contra suas vítimas por pelo menos 34 vezes, entre 2005 e 2021.

O médico está preso preventivamente desde 16 de julho. A promotora responsável pela denúncia, Claudia Regina Lenz Rosa, afirma que o profissional aproveitava seu renome na área das cirurgias estéticas nos glúteos para cometer os delitos.

A denúncia foi oferecida após análise de 10 inquéritos policiais da 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher da Capital, contendo mais de 140 depoimentos, de vítimas e testemunhas.

Outros 58 registros de mulheres que se apresentaram como vítimas do médico não foram considerados para denúncia por prescrição ou decadência, em que o tempo disponível para apresentação da denúncia foi ultrapassado, segundo nota do MP-RS. Até 18 de julho, 95 pessoas já haviam procurado a polícia para denunciar Klaus.

Apesar de as leis de prescrição e decadência terem sido alteradas em 2018, na antiga legislação, as vítimas tinham que registrar Boletim de Ocorrência dentro do prazo de seis meses, contados do dia em que tivessem conhecimento do crime, o que não aconteceu em muitos casos.

Relembre o caso

Em 13 de julho deste ano, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Porto Alegre cumpriu dois mandados de busca e apreensão em endereços associados a Klaus Brodbeck, à época investigado por abuso sexual e crime contra a dignidade sexual das mulheres, o que inclui assédio, importunação e estupro.

A operação teve início com denúncia anterior de 12 mulheres e, depois que o caso veio à tona, outras vítimas foram à polícia.

O cirurgião plástico foi preso preventivamente pela Polícia Civil na noite de 16 de julho em Gramado, no Rio Grande do Sul. Na ocasião, segundo a delegada Jeiselure Rocha de Souza, já havia 86 denúncias contra Brodbeck.

A namorada do investigado divulgou, durante a semana, vídeos em redes sociais em que diversas vítimas se sentiram coagidas por seus pronunciamentos. Ela foi interrogada na tarde de ontem.

O mandado de prisão preventiva foi deferido pela segunda Vara Criminal do Foro Central da Comarca de Porto Alegre, após parecer favorável do Ministério Público. Brodbeck então foi conduzido de Gramado até a capital gaúcha, onde aguarda vaga no sistema prisional.

Como procurar ajuda

Mulheres que passaram ou estejam passando por situação de violência, seja física, psicológica ou sexual, podem ligar para o número 180, a Central de Atendimento à Mulher. Funciona em todo o país e no exterior, 24 horas por dia. A ligação é gratuita. O serviço recebe denúncias, dá orientação de especialistas e faz encaminhamento para serviços de proteção e auxílio psicológico. O contato também pode ser feito pelo Whatsapp no número (61) 99656-5008.

Também é possível realizar denúncias de violência contra a mulher pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil e na página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH), do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

Mulheres vítimas de estupro podem buscar os hospitais de referência em atendimento para violência sexual, para tomar medicação de prevenção de ISTs (infecções sexualmente transmissíveis), ter atendimento psicológico e fazer interrupção da gestação legalmente.