PUBLICIDADE

Topo

Papo de vagina

Estresse da pandemia desregulou sua menstruação? Veja como voltar ao normal

Muitas mulheres experimentaram alterações no ciclo menstrual durante o isolamento social - Priscila Barbosa
Muitas mulheres experimentaram alterações no ciclo menstrual durante o isolamento social Imagem: Priscila Barbosa

Jessica Arruda

Colaboração para Universa

03/08/2021 04h00

Com a pandemia, Priscila Marques percebeu mudanças significativas no seu ciclo menstrual. Logo ela, que sempre teve a menstruação regulada, passou a conviver com atrasos, alterações no fluxo e até oscilações bruscas de humor.

No início deste ano, a relações públicas paulistana chegou a achar que estava grávida porque a menstruação atrasou 11 dias. De lá para cá, ela notou variações no fluxo e também inchaços que não sentia antes nos seios. "Sempre fui um reloginho, mas, desde janeiro, a menstruação desregulou e mudou todo o meu ciclo. Estou em quarentena em casa, sozinha, com dois gatos. Está difícil para todo mundo e sei que cada corpo reage de um jeito", conta.

A queixa de Priscila não é isolada: muitas mulheres experimentaram alterações no ciclo menstrual durante o isolamento social. E não só a menstruação atrasada, como também sangramento anormal, variando de fluxo intenso a períodos bem escassos e até a interrupção da menstruação.

"As circunstâncias difíceis trazidas pela pandemia, como instabilidade financeira e profissional, o isolamento e o medo do que não conhecemos, resultam em ansiedade e estresse. E essas mudanças emocionais têm impacto direto no ciclo menstrual das mulheres", afirma a psicóloga Leticia Konrath.

Até a TPM pode piorar

A sensação constante de insegurança, aliada à perda dos entes queridos e transformações na rotina, está entre os fatores emocionais que contribuíram para o aumento do estresse em tempos de covid-19. Priscila Marques, inclusive, voltou a fazer terapia para controlar os medos e a ansiedade que alteraram seu ciclo menstrual.

"Níveis altos de estresse e ansiedade geram um pico de cortisol e adrenalina na região do cérebro responsável pela produção de hormônios. Isso pode alterar os níveis de progesterona, que equilibra o ciclo menstrual", explica o ginecologista e obstetra César Patez.

Na prática, o cortisol das glândulas suprarrenais é liberado como uma resposta do corpo para combater o estresse. E isso suprime os níveis normais de produção dos hormônios reprodutivos dos ovários. Esse ciclo vicioso afeta não só a regularidade da menstruação como também pode fazer o sangramento parar de vez. E ainda agravar os sintomas da TPM.

Ter covid-19 causa alterações no ciclo?

Além da questão psicológica, pouco se fala sobre os efeitos diretos da covid-19 no ciclo menstrual das mulheres. Nas redes sociais, mulheres, como a escritora americana Lacy Phillips, relatam experiências de ficar meses sem menstruar. Quando a menstruação, enfim, desceu, Lacy ficou assustada com a quantidade de coágulos.

"Acho que ninguém está falando sobre como a infecção por covid-19 realmente atrapalha sua menstruação. Quando eu tive a doença, aconteceu de estar menstruada e foi muito intenso, com coágulos enormes", contou a escritora no Twitter. A americana foi vacinada em março e, em abril, acabou pulando ainda outro ciclo.

Pesquisadores já sabem que o coronavírus pode causar alterações no nível celular com inflamações em todo o organismo. Inclusive no sistema reprodutor feminino. Um estudo realizado com mulheres em Wuhan, na China, em setembro de 2020, analisou de que forma a infecção por covid-19 tinha efeito na menstruação e nos hormônios sexuais das mulheres que contraíram a doença.

Ao examinar o ciclo menstrual de 177 pacientes, os pesquisadores descobriram que 25% tiveram alterações no volume de sangramento e 28% confirmaram mudanças na menstruação, especialmente em casos de fluxo escasso (20%) e ciclo prolongado (19%).

Para o ginecologista Eduardo Walsh, do hospital Pérola Byington, em São Paulo, ainda existem poucos estudos sobre o tema. Mas, segundo ele, há maiores chances de alterações do padrão menstrual em mulheres que tiveram quadros mais graves da doença. "Na maioria dos casos, no entanto, o ciclo tende a retornar ao padrão habitual em poucos meses após a covid-19."

Dicas para normalizar o ciclo menstrual

O médico reforça que, além dos fatores emocionais, problemas físicos também podem alterar o ciclo menstrual, como síndrome dos ovários policísticos, doenças da tireoide, dietas muito restritivas, obesidade e falta ou excesso de exercícios físicos. Em todos os casos, quando essas alterações duram mais de três meses, é preciso buscar ajuda médica para descobrir a real causa do problema e as melhores formas de tratamento.

Confira quatro dicas para ajudar a normalizar o ciclo menstrual afetado pelo estresse da pandemia:

Dormir bem: Se a menstruação está atrasada ou desregulada por causa do estresse da pandemia, concentre-se em reduzir os níveis de cortisol. Como? Dormindo bem — pelo menos entre seis e oito horas por dia.

Alimentação saudável: Enquanto alimentos processados e com muito açúcar potencializam o estresse, uma dieta balanceada, rica em vitaminas, antioxidantes e ácidos graxos, ajuda a combater a ansiedade no organismo. Vale apostar em ingredientes como frutas vermelhas, peixes, castanhas, vegetais verdes e chocolate com percentual alto de cacau, entre outros.

Mexa-se: Nada como se exercitar entre 25 e 30 minutos com atividades aeróbicas, todos os dias, para baixar os níveis de estresse. É importante lembrar que exercícios em excesso também podem desregular o ciclo menstrual.

Mente sã: Outras práticas, como ioga e meditação, contribuem com a melhora da saúde mental. Ter um hobby, começar uma atividade nova e não perder o contato com a família e amigos (mesmo que seja pelo Zoom) também podem ajudar.

Papo de vagina