PUBLICIDADE

Topo

Autoestima

'Percebi que é muito legal estar sozinha', diz Adriane Galisteu

Galisteu diz que aprendeu a gostar de ficar só e ir a locais públicos sem companhia - MANUELA SCARPA/BRAZIL NEWS
Galisteu diz que aprendeu a gostar de ficar só e ir a locais públicos sem companhia Imagem: MANUELA SCARPA/BRAZIL NEWS

De Universa, em São Paulo

04/08/2020 09h18

Adriane Galisteu, 47, disse em entrevista que com a sua maturidade aprendeu a gostar de ficar só. A apresentadora comentou que antes tinha "horror de ficar sozinha" e sempre achava que deveria estar com alguém ao lado.

"Já tive momentos da minha vida em que queria estar sempre com alguém. Tinha horror de ficar sozinha. Mas, meu amor, junto com a maturidade vem a boa companhia da gente mesmo. Percebi que é muito legal ficar comigo, estar sozinha", disse a Quem.

A apresentadora, que está há três semanas em Portugal para ser jurada do reality show de moda "Tu Consegues", explicou que está com saudade do filho Vittorio e do marido, o empresário Alexandre Iódice, mas que já aproveitou a distância da família para curtir sua própria presença no país.

"Aprendi, sim, a estar sozinha, a passear sozinha, a me oferecer um jantar...Várias vezes aqui [em Portugal] eu almocei sozinha, jantei sozinha em restaurante. Não fiquei olhando para a parede, não. Fiquei curtindo. Eu, comigo mesma."

'Nãos' na carreira

Galisteu também falou sobre a sua carreira e comentou que está "acostumada" a receber respostas negativas, mas que isso serve como motivação para ela continuar seguindo no que acredita.

"Sou uma mulher que administrei os nãos da minha vida como gatilhos para chegar onde eu sempre quis. Quando alguém diz que eu não consigo, que eu não posso e que eu não vou, aí é como se apertasse um botão em mim: eu consigo, eu posso e eu vou", explicou a apresentadora.

Ao ser questionada se já pensou em desistir de trabalhar na área, a apresentadora comenta que nunca cogitou deixar de lado a profissão.

"Nunca pensei em desistir por pior que fosse a fase. Tenho certeza absoluta que foi para isso que nasci. Eu gosto de me comunicar. Sou uma mulher que vivo para isso. Me divirto, amo o que eu faço e olha que é bem difícil. Tem fases que a gente pensa: "por que será que isso está acontecendo?", mas, nunca, jamais, pensei em desistir".

Autoestima