PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Pompoarismo traz benefícios para saúde, a autoestima e no sexo. Descubra 15

Técnica milenar criada na Índia e aperfeiçoada na Tailândia, o pompoarismo conquistou o Ocidente  - Dean Mitchell/iStock
Técnica milenar criada na Índia e aperfeiçoada na Tailândia, o pompoarismo conquistou o Ocidente Imagem: Dean Mitchell/iStock

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

09/05/2020 04h00Atualizada em 11/05/2020 09h24

Técnica milenar criada na Índia e aperfeiçoada na Tailândia, o pompoarismo conquistou o Ocidente nos anos 1940, por conta dos estudos do ginecologista americano Arnold Kegel (1894-1981) sobre o funcionamento do assoalho pélvico. Ele desenvolveu uma série de exercícios para fortalecer a musculatura vaginal com o intuito de prevenir e até mesmo corrigir a flacidez local, garantindo mais prazer no sexo e menor risco de problemas como incontinência urinária.

De maneira resumida, o pompoarismo consiste em contrair e relaxar os músculos pubococcígeos, responsáveis por sustentar a bexiga, a uretra, o útero e o reto, e deve ser feito sob a orientação de um ginecologista e/ou fisioterapeuta pélvico. Com ou sem acessórios, como os cones vaginais e as bolinhas Ben Wa, a prática é extremamente benéfica às mulheres.

Benefícios do pompoarismo para o sexo:

Orgasmos mais intensos: o aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica é elevado, o que aumenta a sensibilidade local. O controle da musculatura do assoalho pélvico permite à mulher realizar movimentos que intensificam as contrações vaginais e, de quebra, aumentam a fricção entre as genitálias, potencializando as sensações de prazer.

Alívio da dor na hora da penetração: para quem sofre com os incômodos causados por doenças como vaginismo ou dispareunia. Isso acontece porque o trabalho contínuo da musculatura pélvica a deixa mais flexível, facilitando a introdução do pênis.

A ejaculação do parceiro pode ser retardada: e, sim, pela mulher! Como? Simples: como quem pratica pompoarismo se torna apta a controlar os movimentos da vagina ao redor do pênis - apertando, expelindo e até massageando -, consegue parar toda a "ação" ao perceber que o homem está prestes a explodir de tesão.

Aumento da lubrificação: com o aumento do fluxo de sangue, a área do assoalho pélvico ganha irrigação extra. Além disso, as Glândulas de Bartholin são afetadas positivamente, estimulando a lubrificação vaginal na hora do sexo.

Libido é ativada: as contrações dos exercícios de pompoarismo permitem uma maior liberação de estrogênio, o que interfere diretamente no desejo sexual.

Combate à anorgasmia: a dificuldade de obter orgasmo, independente do estímulo, é um mal que atinge diversas mulheres e que precisa ser olhado com carinho. Além de seguir as orientações do ginecologista e/ou de um terapeuta sexual, praticar pompoarismo pode ajudar no tratamento do problema por causa das estimulações nervosas localizadas.

Movimentos são gostosos para o parceiro: embora o prazer masculino não deva ser encarado com a principal finalidade do pompoarismo, não dá para negar que as contrações femininas na hora H podem provocar mesmo um êxtase incrível. Chupitar, que consiste em "simular" o ato de chupar uma chupeta com a vagina; travar, que significa "prender" o pênis com a força da musculatura, e expulsar a extensão do dito-cujo, concentrando a atenção na glande, são alguns "truques" possíveis.

Benefícios do pompoarismo para a saúde:

Redução das cólicas menstruais: as contrações involuntárias do útero para expulsar a camada interna que não recebeu o óvulo fecundado produzem dor incapacitante para muitas mulheres, mas podem ser atenuadas com os exercícios do pompoarismo. A eliminação de sangue, para algumas, também se torna mais acelerada, diminuindo os dias de desconforto.

Diminuição dos sintomas da menopausa: a secura vaginal devido à diminuição da lubrificação típica dessa fase é um contratempo que afeta as mulheres e, obviamente, provoca desconforto durante o sexo. A melhora na circulação local ajuda a enfrentar essas dificuldades.

Parto e pós-parto mais confortáveis: o fortalecimento da musculatura ajuda no momento das contrações, fazendo com que o bebê saia com mais facilidade durante o parto normal. O período do pós-parto também é atravessado com mais leveza e menos dores.

Intestino funcionando melhor: a técnica estimula o trânsito intestinal seja estimulado, tanto pelo movimento em si quanto por aumentar a irrigação local, combatendo fezes ressecadas e prisão de ventre.

Prevenção da incontinência urinária: com o assoalho pélvico fortalecido, a incontinência urinária causada pela flacidez dos músculos devido à idade ou à gravidez é evitada. Outro problema que pode ser combatido com o pompoarismo é a "bexiga caída" (prolapso genital).

Combate da flacidez vaginal: a idade, o excesso de partos normais e certas situações cotidianas (tossir, espirrar, rir, fazer exercício físicos, levantar peso) aumentam a pressão intra-abdominal e sobrecarregam essa parte da anatomia. O pompoarismo tem a ação de uma medida preventiva contra isso.

Benefícios do pompoarismo para a autoestima:

Empoderamento: a prometida facilidade em chegar ao orgasmo tem um impacto positivo na sexualidade e na autoafirmação femininas. Inclusive, praticantes de níveis avançados de pompoarismo costumam relatar que conseguem chegar ao clímax sozinhas, somente contraindo e relaxando os músculos.

Autoconfiança e consciência corporal: além de desvendar como funciona a própria anatomia, praticantes de pompoarismo se sentem mais seguras e confiantes em relação ao sexo.

Fontes consultadas: Caroline Alexandra Pereira, ginecologista e obstetra da Clínica Viváter, de São Paulo (SP); Cátia Damasceno, especialista em sexualidade e ginástica íntima e criadora do site Mulheres Bem Resolvidas, e Fernanda Pauliv, consultora e palestrante de sensualidade de Curitiba (PR)

Sexo