PUBLICIDADE

Topo

Quem é Kim Yo-jong, mulher que pode ser a próxima líder da Coreia da Norte

Kim Yo-jong, irmã de Kim Jong-un - Getty Images
Kim Yo-jong, irmã de Kim Jong-un Imagem: Getty Images

De Universa*

26/04/2020 16h27

A Coreia do Norte é governada por uma dinastia de homens que passam o poder de maneira hereditária. Embora o país não confirme oficialmente, o atual líder do país, Kim Jong-un, está sob suspeita de ter problemas graves de saúde — especula-se que ele tenha tido inclusive morte cerebral — e não tem um herdeiro à vista.

A atenção mundial voltou-se nos últimos dias, portanto, para uma mulher. Irmã de Kim Jong-un, Kim Yo-Jong foi nomeada como integrante suplente do conselho dos trabalhadores norte-coreanos no início deste mês. Kim Jong-un, que tem 36 anos, já estava meio sumido na ocasião.

10.fev.2018 - Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, cumprimenta Kim Yo-jonga, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un, em encontro neste sábado - AFP Photo
10.fev.2018 - Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, cumprimenta Kim Yo-jonga, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un, em encontro neste sábado
Imagem: AFP Photo

Kim Yo-Jong teria nascido entre 1988 e 1989 (não se sabe ao certo porque a Coreia do Norte é o país mais fechado do mundo) e foi educada em colégios na Suíça antes de retornar para casa. Era chamada de "princesa" pelo pai, Kim Jong-Il, que herdou a liderança da ditadura do avô de Yo-Jong, Kim Il-sung.

Aparições de sucesso

O irmão Kim Jong-un, que há nove anos assumiu ao trono, a levou a encontros importantes. Kim Yo-Jong esteve com o presidente Donald Trump e com o presidente chinês Xi Jinping. Também participou da abertura das Olimpíadas de Inverno, na Coreia do Sul, em 2018.

As aparições foram vistas como uma espécie de "treinamento" para uma possível sucessão no comando da ditadura norte-coreana. Yo-Jong também foi a primeira integrante da família Kim a visitar Seul. Tecnicamente, as duas Coreias seguem em guerra desde 1953.

O destaque de Kim Yo-jong simboliza a abertura do regime proposta por Kim Jong-un, que assumiu por volta dos 30 anos de idade, em 2011. Durante sua liderança, Jong-un usou Yo-jong como ponta de lança para suavizar a imagem do país no mundo. Não se sabe se a leve abertura teve a ver com a irmã — era ela quem comandava o setor de propaganda do país.

Líder morto?

O líder não aparece em público desde 12 de abril, quando esteve em uma base aérea de acordo com a mídia norte-coreana. Veículos de norte-coreanos que fugiram do país apontam que o líder passou por uma cirurgia cardiovascular grave. Outras fontes, como o TMZ, sugerem fortemente que Kim Jong-un morreu com o procedimento. Um porta-voz da presidência, Moon Jae-in, disse hoje para a Fox News que o líder está "vivo e bem".

Kim Yo-jong é a única que se encaixa na linha de sucessão. Os filhos do irmão ainda são jovens demais para ocupar o cargo. Há um irmão mais jovem e um sobrinho de Kim Jong-un na linha sucessória, mas os dois nunca deram as caras nas grandes questões do país e nem tem cargos partidários. Os outros concorrentes foram tirados do jogo de antemão.

Há suspeitas que Kim Jong-un mandou matar o meio-irmão Kim Jong-nam em uma emboscada hollywodiana em um aeroporto na Malásia, em 2017. O tio do ditador, Jang Song Thaek, também foi assassinado em 2013.

O único concorrente no páreo contra a irmã seria Kim Pyong-il, único filho ainda vivo do criador da ditadura norte-coreana, Kim Il-Sung. Ele cumpria missões no exterior e retornou ao país após 40 anos.

Se a Coreia do Norte vai permitir que uma mulher jovem comande um país de elite masculina? Acompanhe nos próximos capítulos.

*Com agências de informação

Política