Topo

Sexo

Ele só quer o seu prazer: como estimular cada parte do clitóris

O primeiro passo para obter o máximo de prazer é explorar o próprio corpo - Getty Images/iStockphoto
O primeiro passo para obter o máximo de prazer é explorar o próprio corpo Imagem: Getty Images/iStockphoto

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

28/07/2019 04h00

Olhe para baixo, entre as pernas. Aquela parte maiorzinha que você consegue ver é apenas, digamos, a ponta do iceberg de prazer que é o seu clitóris. Único órgão do corpo destinado exclusivamente à satisfação sexual, ele é bem maior do que parece. Para se ter uma ideia, o clitóris tem entre 8 e 9 centímetros de comprimento -- sim, quase do tamanho de um pênis em repouso -- e conta com uma complexa anatomia interna. A boa notícia é que todas as partes que o compõem podem -- ou melhor, devem! -- ser estimuladas durante a transa ou a masturbação. Basta entender direito como tudo funciona.

O primeiro passo para tirar o máximo de prazer desse pequeno tesouro é conhecer bem o próprio corpo. "Acredite, muitas sequer sabem onde fica o clitóris", diz a sexóloga Rosely Salino, de São Paulo (SP), que recomenda usar um espelho diante da vulva para explorar o órgão.

O capuz ou a "cabecinha" do clitóris surge da união dos pequenos lábios e é feito do mesmo tecido erétil da glande do pênis, daí o fato de apresentar tanta sensibilidade.

De acordo com a psicóloga e sexóloga Tatiana Presser, autora do livro "Vem Transar Comigo" (ed. Rocco), se você colocar seu dedo sobre o clitóris vai sentir uma espécie de "cosquinha" e perceber algo mais duro. Trata-se do corpo cavernoso. "Ele segue em forma de duas 'pernas', chamadas crus ou crura, passa por dentro dos grandes lábios e termina nos bulbos clitorianos, abraçando a parte inferior do canal vaginal", explica.

Cada uma das alças conta com 4 mil terminações nervosas na ponta, ou seja, são 8 mil no total! É por isso que a cabecinha é o ponto mais gostoso de se mexer para a maioria das mulheres. "E como o clitóris é diretamente ligado a outros nervos, músculos e veias, a excitação faz com que haja um grande aumento de fluxo sanguíneo na região, levando-o a inchar não só por fora como por dentro. Ao inchar, ele acolchoa o canal vaginal e a parte em volta da uretra, levando a área a pulsar o sangue até a 'explosão', no orgasmo", explica Tatiana.

Resumo da história: seja interna ou externamente, o seu clitóris é uma região que merece ser analisada e descoberta em detalhes, pois é garantia certa de experiências deliciosas. Ao começar pela parte externa, saiba que o clitóris tem um funcionamento bem parecido com o do pênis: estimulada, a "cabecinha" fica ereta e pode até ganhar um aspecto mais arredondado. Se o estímulo ocorrer via sexo oral, vale seguir as dicas da sexóloga Carla Cecarello, consultora do site C-Date e fundadora da ABS (Associação Brasileira de Sexualidade): "O estímulo não deve acontecer diretamente no capuz, pois pode causar incômodo. O ideal é que o par explore primeiro os arredores com a língua bem durinha, apenas com a ponta, em movimentos circulares sempre na mesma direção", explica.

Depois que o clitóris ficar mais durinho, gorducho e avermelhado, a língua pode ficar mais "mole" e os movimentos devem variar: circulares, de baixo para cima, de cima para baixo, de um lado para o outro e por aí vai. "Conforme a mulher vai ficando mais excitada, o homem pode introduzir um dedo da vagina e aumentar a pressão da língua", diz Carla. Com todo o clitóris bem inchado, sua parte interna também vai sentir o "impacto" do tesão e o orgasmo acontece.

Segundo Rosely Salino, variar as posições sexuais também ajuda na estimulação do clitóris. "Nada contra o papai-e-mamãe, mas, por exemplo, se a mulher juntar bem as pernas após a penetração, o estímulo clitoriano será bem intenso. Outra boa posição é quando a mulher fica por cima, de frente para o homem, permitindo ao mesmo tempo que ele a penetre e estimule o clitóris manualmente. Essa estratégia permite o estímulo simultâneo da glande externa e do corpo interno do clitóris, produzindo bons orgasmos", conta.

Também há a posição em que a mulher se deita com a barriga para baixo, em cima de um travesseiro. "Ela garante que a penetração force o clitóris contra o travesseiro, proporcionando uma agradável pressão e, consequente, maior intensidade orgástica", fala Suely. Vibradores de casal do tipo We-Vibe, que permitem o uso conjunto com a penetração, são uma forma hi-tech de levar cada pedacinho de clitóris ao êxtase.

Durante a masturbação, uma maneira de explorar com afinco as laterais externas é usando um bullet ou um sex toy específico para o clitóris, dependendo do estímulo que você prefere. Há os brinquedos que vibram, sugam, massageiam... Usar um lubrificante à base de água faz com que os dedos e o aparelho deslizem melhor, tornando a experiência ainda mais gostosa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Sexo