Topo

Autoestima


Instagram bane conteúdo de mulheres que fazem pole dance e medida repercute

Grazi Meyer, do Maravilhosas, no pole dance - Reprodução/Instagram
Grazi Meyer, do Maravilhosas, no pole dance Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

Da Universa

21/07/2019 18h50

O Instagram é acusado de bloquear várias hashtags ligadas ao pole dance - prática de dança sensual, majoritariamente feita por mulheres, em uma barra de ferro - e praticantes e profissionais que atuam no mercado da modalidade estão criticando a decisão na própria rede social.

Ao tentar localizar fotos e vídeos de coreografias e posturas de pole no campo "Pesquisar" do Instagram usando algumas palavras referentes à prática, o usuário encontra a seguinte mensagem: "Publicações recentes de #poledancenation [uma das hashtags bloqueadas] estão ocultadas no momento porque a comunidade denunciou conteúdo que pode não estar em conformidade com as diretrizes da comunidade do Instagram".

Na tentativa de acesso a outros conteúdos, como da "#polemaniabr", o aviso muda para: "Publicações ocultadas. Para garantir que apenas as publicações mais relevantes sejam mostradas, ocultamos algumas publicações que podem ser privadas ou ter baixa qualidade".

Hashtags de pole dance são bloqueadas por Instagram

O conteúdo publicado no Instagram com "#Poledancenation", "Sundaybumday" e as já citadas "Polemaniabr" e "Poledancenation", entre tantas hashtags, está sendo bloqueado pela rede social. A mudança afeta o acesso às publicações de pessoas do mundo inteiro.

A instrutora de pole e sócia proprietária do Maravilhosas Pole & Dança, estúdio de São Paulo, Grazi Meyer, explicou à Universa que o bloqueio às fotos de mulheres se exercitando e sensualizando na barra de ferro já acontecia antes, de outra forma. "Começou com o shadowban [quando um usuário é banido ou não tem seu conteúdo entregue em campos de pesquisa ou no feed dos seguidores]. Minhas fotos começaram a ficar ocultas para as pessoas, minhas amigas não veem mais".

A mudança principal, agora, é o fato de que todo conteúdo que está sob o guarda-chuva de hashtags relacionadas ao pole foi penalizado pela rede social, impactando diretamente no mercado da prática, que envolve estúdios, professores e praticantes.

A pole dancer Michelle Shimmy, que mantém um estúdio de pole dance na Austrália e um blog sobre a prática, também se manifestou com um post no Instagram sobre o banimento e alertou que a mesma medida não se aplicou às hashtags usadas para compartilhar conteúdo em que homens estão fazendo pole.

"Usamos este sistema de nomenclatura para que possamos encontrar manobras de pole para aprender uns com os outros e treinar. Não há nada profano ou pornográfico sobre o que fazemos. O pole dance é habilidade, artístico, divertido, pode ser de forma fitness, pode ser na forma de performance e, sim, pode ser sexy, mas NÃO viola os termos de uso ou os padrões da comunidade do @Instagram. Proibir hashtags relacionadas ao pole dance faz com que seja realmente difícil para as pequenas empresas do setor funcionarem, e isso dificulta a interação da nossa comunidade. Nós vemos como uma alarmante tendência de policiamento de corpos femininos no Instagram, uma tendência que não se vê atingindo corpos masculinos da mesma forma", escreveu na legenda da foto abaixo.

Hey @instagram - we pole dancers of the world are really disappointed to see that all pole dance related hashtags are now banned hashtags, and that even hashtags that use "pd" at the start like pddeadlift or pdayesha have also been banned @polelols . We use this naming system so we can find pole skills to learn from each other and to train. There is nothing profane or pornographic about what we do. Pole dance is skilful, artistic, entertaining, it can be fitness-based, it can be performance-based and yes it can be sexy but it does NOT violate @instagram's terms of use or community standards. Banning pole dance related hashtags makes it really hard for small businesses in the industry to function, and it makes it difficult for our pole dance community to interact. We see an alarming trend of policing female bodies on instagram, a trend that doesn't seem to affect male bodies in the same way. As @crystalgibsonpole pointed out, femalefitness is a banned hashtag, but malefitness isn't. In my discovery feed, I see naked male torsos, but women must be fully clothed to feature in the discovery feed. You are penalising the female body as though it is in some way "inappropriate" to be female and to exist on instagram. Women, goddess, curvy and girls have also been banned hashtags (and probably still are, I'm not sure). If you are a pole dancer, check out @elizabeth_bfit post which includes a list of banned hashtags to avoid. I'm sad to see that sunday bumday, which is a body positivity movement, has also been banned. @instagram - sort it out. This policing of women's bodies is not ok. Update your algorithms. Use your brains. This is beyond stupid. Also, while you're at it - stop policing stripper hashtags, body positivity hashtags, sex worker hashtags - and anything else that is perfectly legal but somehow conflicts with your nonsensical, vaguely defined, puritanical view of "community standards". If you're a pole dancer, please feel free to repost this if you agree

A post shared by michelleshimmy (@michelleshimmy) on

Corpo feminino no pole

Para Grazi Meyer, a alteração também tem impacto imediato no movimento com o qual o pole tem contribuído: o de libertar o corpo feminino para sensualidade e gerar uma onda de autoaceitação entre mulheres.

"É um movimento muito bacana que tem servido para várias mulheres se sentirem à vontade com seus corpos, para expressarem seus desejos, compartilhando as fotos, tendo acesso a outras mulheres. Muita gente diz: 'você tá aí mostrando a bunda para ser objeto de desejo'. Não, nós entendemos que somos sujeito de desejo, sujeito sexual. Eu ter poder sobre meu corpo e poder compartilhar meu corpo dançando, se movimentando, fazendo exercício, e que foi criado por mulheres, isso é muito forte", pontua.

"O que temos como impacto imediato é [perceber] que o Instagram não é uma plataforma segura para pole dancer. Já não era para strippers e mulheres que falam de seus corpos e sexualidade. Quando o Instagram começou a banir quem parecia stripper ou quem usava hashtag de stripper, uma parte da comunidade [pole] achou que estava ok, porque se consideravam 'atletas'. Agora, baniu todo mundo. As strippers já reclamam de censura e banimento há muito tempo", explica Grazi, destacando que o pole dancer tem origem burlesca, associada a circos, e foi popularizado por strippers. "Se você procura hashtags 'male body' [corpo masculino], 'pole male' [pole masculino], o corpo masculino pode estar exposto. O feminino, não".

Resposta do Instagram

A Universa entrou em contato com a assessoria de imprensa do Instagram no domingo (21). Em nota enviada na segunda-feira (22), a rede social disse que as hashtags #poledancenation, #polemaniabr, entre outras, foram bloqueadas por erro e já foram restauradas.

"Pedimos desculpas pelo erro. Mais de um bilhão de pessoas usam o Instagram todos os meses, e operar nesse tamanho significa que erros podem ocorrer, nunca tivemos a intenção de silenciar quaisquer membros da nossa comunidade."