PUBLICIDADE

Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução


Transforma

"Não acredito que um filme sobre menstruação ganhou o Oscar", diz diretora

Melissa Berton e Rayka Zehtabchi ao receberem o Oscar de Melhor Documentário Curta-Metragem - Getty Images
Melissa Berton e Rayka Zehtabchi ao receberem o Oscar de Melhor Documentário Curta-Metragem Imagem: Getty Images

da Universa, em São Paulo

25/02/2019 09h28

"Period. End of Sentence", da Netflix, venceu neste domingo (24) o Oscar de Melhor Documentário Curta-Metragem, uma conquista inédita para uma produção que trata de um assunto que ainda é tabu em diversos países como a menstruação.

Comovida diante da conquista, a diretora Rayka Zehtabchi ainda brincou ao receber a estatueta com o estigma de que mulheres não estão no controle de suas emoções 'naqueles dias'. "Não estou chorando porque estou menstruada ou coisa parecida. Não acredito que um filme sobre menstruação ganhou o Oscar!".

O filme de 25 minutos retrata a história real de uma comunidade indiana que se refere a este processo natural do corpo feminino como uma "doença que afeta só as mulheres" e que, pela primeira vez em sua história, passa a ter contato com absorventes após uma fábrica do produto chegar à cidade.

De maneira tímida, as moradoras do local começam a conversar sobre seus corpos e suas vidas com a abertura da fábrica, que deu ainda a muitas a possibilidade de ter um emprego e o próprio dinheiro, algo que não era possível antes.

Na cultura hindu, mulheres em idade menstrual são consideradas impuras e, em algumas regiões, mulheres chegam a ser totalmente isoladas do convívio social durante o período. A prática chega a ocasionar morte em áreas rurais, já que frequentemente elas não têm acesso a cuidados básicos de saúde.

O curta foi produzido pelo The Pad Project, uma organização criada por um grupo de alunos americanos com a ajuda de uma professora. Confira o trailer:

Transforma