PUBLICIDADE

Topo

Evandro Fióti é barrado em dia desfile de sua marca: "Ser preto é..."

Fióti durante desfile da LAB Fantasma, marca que possui junto com Emicida, seu irmão  - Fotosite
Fióti durante desfile da LAB Fantasma, marca que possui junto com Emicida, seu irmão Imagem: Fotosite

Do UOL

31/08/2017 17h51

Evandro Fióti, músico, estilista e irmão do rapper Emicida, usou seu perfil no Facebook para contar ter sido vítima de preconceito racial na terça-feira, 29, durante a São Paulo Fashion Week. Evandro, que estava devidamente credenciado para o evento, foi barrado na porta por um segurança do evento no dia em que sua marca, a LAB - Laboratório Fantasma, faria seu desfile. 

"Ser preto é ser barrado pelo segurança do evento até mesmo quando é da sua marca e com pulseira", escreveu ele momentos após o desfile encerrar. Até o momento o post teve 1,8 mil likes e 250 compartilhamentos.

A grife, que estreou na SPFW há três temporadas, sempre exalta a diversidade de seu casting e costuma levar dezenas de negros à passarela. Nesta edição, um dos nomes escolhidos como modelo foi Mc Carol. O desfile da marca lotou a Bienal e causou frisson. 

Evandro Fióti, da LAB, usou o Facebook para reclamar de racismo - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Evandro Fióti, da LAB, usou o Facebook para reclamar de racismo
Imagem: Reprodução/Facebook

Em nota de esclarecimento, a grife comentou o caso envolvendo Fióti. "Na última terça-feira (29), a LAB apresentou mais uma coleção em seu desfile e, no momento em que Fióti, um dos fundadores da marca, foi deixar a Bienal para se juntar à sua equipe, foi barrado por um dos seguranças mesmo mostrando sua pulseira de livre acesso e argumentando que era sócio de uma das marcas que havia desfilado. O músico só conseguiu a liberação após o segurança contatar seus superiores.

O ocorrido ressalta a realidade do racismo ainda existente na sociedade brasileira e reforça ainda mais a necessidade da participação de marcas como a LAB em eventos de grande repercussão e da inclusão de pessoas que realmente representam a população brasileira em lugares de destaque".

Em nota oficial, a SPFW também lamenta o ocorrido e, de acordo com a organização do evento, as medidas de repreensão de conduta já foram tomadas junto à empresa responsável pela segurança do evento. "O SPFW está integralmente ao lado de Fióti, e acredita que a divulgação deste fato contribui na luta contra atitudes que infelizmente ainda fazem parte do dia a dia de nossa sociedade e que nos repugnam", diz a mensagem.