PUBLICIDADE

Topo

Universa

Já pensou em abrir mão de pôr fraldas no recém-nascido?

Defensores do metódo "Comunicação de Eliminação" dizem que ele reduziria a ocorrência de infecção urinária - Getty Images
Defensores do metódo "Comunicação de Eliminação" dizem que ele reduziria a ocorrência de infecção urinária Imagem: Getty Images

Do UOL

27/06/2017 09h17

“Comunicação de Eliminação” (EC na sigla em inglês) é um método que ensina a ler os sinais que o bebê dá quando quer fazer xixi e coco e assim levá-lo ao banheiro, dispensando o uso de fraldas. Segundo artigo de dois médicos de Los Angeles, nos Estados Unidos, para o jornal da Academia Americana de Pediatria, há enormes benefícios em uma vida “sem fraldas”.

Além da óbvia economia, o EC reduziria  a incidência de infecção no trato urinário e o impacto ambiental, em função do lixo que deixaria de ser gerado. Segundo o jornal “The Guardian”, no Reino Unido, 3 bilhões de fraldas são jogadas fora por ano.

Os autores do texto, a patologista Rosemary She e seu marido, Jeffrey Bender, pediatra especialista em doenças infecciosas, testaram o método com o terceiro filho deles e foram bem-sucedidos.

Apesar dos falados benefícios, muitos pediatras são contra o EC. Segundo eles, recém-nascidos não têm nem cérebro nem sistema excretor maduros para serem submetidos a esse treino. Tal habilidade só viria entre os 24 e os 36 meses de vida.

Outra crítica é que a Comunicação de Eliminação não é uma opção para pais solteiros nem para os que trabalham fora. De acordo com Amber Hatch, autora do livro “O Bebê Livre da Fralda” (em tradução do inglês), um guia para treinar o bebê no método EC, não é preciso usá-lo o tempo todo.

“Conheço mães que o colocam em prática à noite e nos fins de semana e outras que, ao voltarem a trabalhar, entraram em acordo com os cuidadores dos filhos. Não há regras: faça o que for certo para você e seu bebê”, disse Amber para o “The Guardian”.

Universa