PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Cern pune professor que questionou papel da mulher na ciência

Reprodução/EFE
Imagem: Reprodução/EFE

Da EFE

07/03/2019 16h43

A Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (Cern) anunciou nesta quinta-feira que cancelou a posição de professor visitante do especialista da Universidade de Pisa, o italiano Alessandro Strumia, por expressar publicamente que a Física era uma invenção de homens e que as mulheres chegaram por discriminação positiva.

Em comunicado, o centro, cuja sede fica em Genebra, anunciou essa decisão tomada de acordo com seu código de conduta, e depois que o professor também foi sancionado pelo comitê de ética da universidade italiana.

Strumia criou controvérsia em um ciclo de conferências organizadas em setembro do ano passado pelo Cern em Genebra, no qual acusou as mulheres cientistas de se apoderarem de várias posições em nome da paridade.

Após a conferência, que versava sobre o tema de "Teoria de Altas Energias e Gênero", várias cientistas criticaram nas redes sociais o cientista italiano, o que fez com que o Cern suspendesse dias depois sua relação com Strumia, uma sanção que foi ampliada hoje com a ruptura definitiva de laços.

No comunicado, o centro reafirmou "seu compromisso e o da Universidade de Pisa em relação ao respeito e à diversidade nos lugares de trabalho", algo que considera de "importância vital". EFE

Direitos da mulher