PUBLICIDADE

Topo

Governo de SP lança campanha para prevenir a gravidez na adolescência

iStock
Imagem: iStock

Pepita Ortega

São Paulo

29/02/2020 10h47

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que o Brasil está entre os países latino-americanos com a maior média na região de bebês nascidos de mães adolescentes. Aqui, a cada mil jovens com idades entre 15 e 19 anos, nascem 68,4 bebês de mães adolescentes, enquanto na América Latina o índice é de 65,5 bebês de mães jovens a cada mil adolescentes. A média mundial é ainda menor: 46 nascimentos a cada mil.

Com base neste cenário, o Governo paulista — por meio das Secretarias da Justiça e Cidadania, Educação e Saúde —, lançou a campanha 'Gravidez na Adolescência é para a vida toda', em alusão à Semana Nacional de Prevenção de Gravidez na Adolescência, instituída pela Lei nº 13.798 de 2019.

A iniciativa conta com ações por meio das redes sociais, presenciais e concurso de YouTubers para estudantes da rede pública estadual.

A campanha, de caráter permanente, começa na próxima semana com a veiculação de peças de publicidade nas redes sociais, em canais como Facebook, Instagram e Twitter.

O site da campanha será hospedado na página da Secretaria da Justiça e Cidadania.

Apesar de o Estado de São Paulo ter reduzido o número de adolescentes grávidas em 46,59% entre os anos de 1998 e 2016, ainda são quase 80 mil nascimentos de crianças cujas mães possuem idade entre 10 e 19 anos.

As informações foram divulgadas pela Assessoria de Comunicação da Secretaria de Justiça. "Os números mostram a urgência de se abordar a temática, com o envolvimento e a linguagem dos próprios adolescentes, além da participação da comunidade escolar, por meio das escolas públicas estaduais."

Estudo da Fundação Abrinq, publicado em 2018 e com base em dados federais de 2016, apontou que o índice de evasão escolar das adolescentes com até 19 anos que se tornam mães é maior nas regiões Norte e Nordeste quando comparado ao Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

Enquanto nestes últimos o índice é de quase um quarto das jovens que deram à luz e não concluíram o Ensino Fundamental, no Norte sobe para 35,9% e no Nordeste, 35,5%. São adolescentes que possuíam apenas de quatro a sete anos de estudo.

O secretário da Justiça e Cidadania, Paulo Dimas Mascaretti enfatiza que os governos e a sociedade "precisam falar sobre as causas e as consequências de uma gravidez não planejada nessa etapa da vida".

"É fato que engravidar precocemente é um problema de saúde pública. Temos que pensar nas causas, que são os riscos à saúde da mãe e do bebê e as consequências, que têm impacto socioeconômico, uma vez que muitas jovens grávidas desistem de estudar e enfrentam dificuldades para conseguir emprego", ressalta Paulo Dimas.

Talk Show

Para a próxima terça, 3, às 10h, no auditório da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, na Barra Funda, está programado um Talk Show, conduzido pelas jornalistas Mariana Kotscho e Roberta Manreza, apresentadoras do Programa Papo de Mãe da TV Cultura.

Durante o evento, as jornalistas farão um círculo de conversa com especialistas e adolescentes-pais. De forma interativa, transitarão na plateia para que o público presente faça perguntas aos convidados.

No dia do evento, a médica Albertina Duarte, ginecologista, obstetra, cirurgiã, coordenadora do Programa Saúde do Adolescente e coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres do Estado de São Paulo, fará o lançamento do livro 'Maternidade e adolescência, histórias de adolescentes grávidas e mães do Brasil, Portugal e Guiné', organizado por ela.

Concurso de youtubers

A Assessoria de Comunicação da Secretaria da Justiça registra que entre as ações previstas estão ainda o concurso 'Youtubers Conscientes e a Gravidez na Adolescência', destinado a alunos da rede pública estadual, e a veiculação do portal da campanha.

A Secretaria da Justiça assinala que o portal da campanha é tanto informativo e formador para os adolescentes e jovens, como referência de consulta para educadores, inclusive com informações sobre serviços e políticas públicas oferecidas pelo governo paulista.

No concurso 'Youtubers Conscientes e a Gravidez na Adolescência', estudantes das escolas públicas estaduais, com idades entre 12 e 20 anos incompletos, poderão criar e inscrever vídeos dentro do contexto da campanha 'Gravidez na Adolescência é para a Vida Toda'.

"A finalidade é contribuir para o esclarecimento da população infanto-juvenil sobre a importância da prevenção da gestação nessa etapa da vida", ressalta a Secretaria da Justiça.

O concurso consiste na apresentação de um vídeo (produto audiovisual), com duração máxima de três minutos.

De acordo com as informações divulgadas, os adolescentes poderão abordar de forma interdisciplinar — sob os vieses da saúde, educação, sociologia, entre outros — a importância e necessidade de se prevenir a gravidez.

Direitos da mulher