PUBLICIDADE

Topo

Direitos da mulher

Mulheres afegãs estão entre os indicados a prêmio do Parlamento Europeu

23.ago.2021 - Mulheres afegãs de burca fazem compras em Cabul, após a tomada militar do país pelo Talibã - Hoshang Hashimi/AFP
23.ago.2021 - Mulheres afegãs de burca fazem compras em Cabul, após a tomada militar do país pelo Talibã Imagem: Hoshang Hashimi/AFP

Da AFP, em Bruxelas

27/09/2021 15h26

Um grupo de 11 afegãs, militantes dos direitos das mulheres, professoras e jornalistas, o opositor russo Alexei Navalny e a ex-presidenta interina da Bolívia, Jeanine Áñez, estão entre os indicados ao prêmio Sakharov do Parlamento europeu, cujo vencedor de 2021 será anunciado em outubro.

Os eurodeputados Socialistas e Democratas (S&D, esquerda) e os Verdes apresentaram uma candidatura coletiva para as mulheres afegãs para este prêmio à liberdade de consciência.

Na lista estão Shaharzad Akbar (presidente da Comissão Afegã Independente de Direitos Humanos), Mary Akrami (diretora da Afghan Women's Network que administra refúgios para mulheres que fogem da violência familiar) e Zarifa Ghafari (uma das primeiras mulheres prefeitas do país).

A lista também inclui Palwasha Hassan, Freshta Karim, Sahraa Karimi, Metra Mehran, Horia Mosadiq, Sima Samar, Habiba Sarabi e Anisa Shaheed.

Essas mulheres "são militantes dos direitos humanos" e também "vítimas da situação no Afeganistão e da tomada do poder pelos talibãs", disse o eurodeputado espanhol (S&D) Nacho Sánchez Amor, em uma reunião organizada pelo Parlamento europeu por videoconferência.

Os grupos PPE (direita) e Renew Europe (liberais e centristas) designaram o opositor russo preso Alexei Navalny como candidato.

Outros candidatos são a militante pelo direito à autodeterminação da população saharauí, Sultana Khaya, e a ex-presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, que está presa acusada de "golpe de Estado" contra o governo do ex-presidente Evo Morales.

Uma lista menor de três candidatos será estabelecida em 14 outubro e o ganhador será anunciado em 21 de outubro e receberá o prêmio em 15 de dezembro, em sessão plenária do Parlamento europeu.

Direitos da mulher