PUBLICIDADE

Topo

Suécia apresenta plano para tentar frear violência contra as mulheres

Plano coincide com os assassinatos de cinco mulheres em três semanas - Getty Images/iStockphoto
Plano coincide com os assassinatos de cinco mulheres em três semanas Imagem: Getty Images/iStockphoto

Da AFP, em Estocolmo

16/06/2021 11h11

O governo sueco apresentou, nesta quarta-feira (16), um plano de ação para tentar frear a violência contra as mulheres, depois de uma série de feminicídios que provocaram indignação neste país, que se diz pioneiro nos direitos femininos.

O plano de 40 pontos prevê aumentar a prevenção e também contempla condenações mais severas para os autores dos crimes.

Também estipula sanções mais severas para quem violar as ordens de distanciamento, cometer estupros e crimes de violência doméstica.

Além disso, o governo quer ampliar os abrigos protegidos e planeja aumentar as ordens que restringem os contatos, no caso de mulheres vítimas de agressão sexual.

Sua publicação coincide com os assassinatos de cinco mulheres em três semanas, todas elas mortas por homens, a maioria seus ex-companheiros.

"Se houver uma única mulher assassinada ou abusada, nossa tarefa ainda não acabou", disse à imprensa a ministra para a Igualdade de Sexos, Marta Stenevi.

Olga Persson, presidente da Unizon, uma associação com mais de 100 centros de abrigo para mulheres na Suécia, afirmou que o plano era esperado há anos.

Ela elogiou os vínculos que este plano estabelece entre a violência contra as mulheres e a prostituição, e a possibilidade de que alguns crimes violentos contra as mulheres sejam considerados crimes de ódio.

No entanto, o plano precisa de financiamento para as medidas previstas e de estruturas de monitoramento, lamentou.