PUBLICIDADE

Topo

Relacionamentos

Além da ficção: 7 atitudes de Joe, de "Você", que são alerta para relações

Em "Você", Joe usa o charme para conquistar e dominar - Reprodução / Netflix
Em "Você", Joe usa o charme para conquistar e dominar Imagem: Reprodução / Netflix

Ana Bardella

De Universa

02/01/2020 04h00

Recentemente foi lançada a segunda temporada da série "Você" (You) pela Netflix. Na trama, o personagem principal, Joe Goldberg (Penn Badgley), é um perseguidor de mulheres. Quando se apaixona por uma, analisa seu comportamento e molda as próprias atitudes, primeiro para conquistar o alvo da sua paixão, depois para controlar todas as áreas da sua vida.

Obsessivo e charmoso, Joe comete atos extremos como sequestrar e matar em nome do que chama de amor. Apesar de representar alguém que vive no limite das emoções, muitas de suas atitudes são comuns na vida real.

A seguir, especialistas elencam os sinais de alerta para relações abusivas retratados na série:

  • Encarar os amigos e a família como uma ameaça

    Na trama, Joe, que trabalha como vendedor de livros, faz questão de analisar os amigos das mulheres com quem se envolve, pois sabe que eles podem influenciar na forma como elas pensam. "Quanto mais uma pessoa tem suporte da família ou dos amigos, menos fica dependente. Logo, menor a possibilidade de suas relações amorosas se tornarem abusivas", explica o psiquiatra Roberto Shinyashiki. Por isso é comum que parceiros dominadores questionem a fidelidade dos colegas ou as reais intenções da família: eles querem a confiança da pessoa só para si.

  • Fortalecer a relação na fraqueza do outro

    A cada fragilidade que Joe descobre em suas parceiras, como problemas com os pais, mais forte se torna a relação. Ele diz que se interessa por quem elas realmente são e que não tem medo de conhecer seus defeitos. Mas esta não é sua real motivação. "É comum que pessoas com perfil abusivo se aproveitem de lacunas para solidificar o envolvimento. Problemas financeiros e emocionais são os preferidos: é por meio deles que consolam seus parceiros e os fazem se sentir acolhidos. No fundo, não desejam o sucesso deles em nenhuma área da vida", diz a psicóloga Andréa Leão.

  • Justificar os erros com a frase: "Eu faço tudo por você"

    O personagem realiza todo tipo de atrocidades, mas repete insistentemente que elas estão sendo feitas por uma boa causa, pelo bem das mulheres que ama. "Pessoas perversas raramente reconhecem seu lado ruim, por isso usam esse tipo de argumento para justificar suas atitudes. Elas se acham no direito de agir de forma errada, pois, no fundo, sentem que estão sendo benéficas para alguém, ainda que isso não passe de uma fantasia", explica a psicóloga. Trata-se de um recurso para aliviar a própria consciência.

  • Tornar a presença necessária para a resolução de problemas

    "O que uma pessoa abusiva mais deseja é que o outro se torne dependente dele. Por isso, muitas vezes se assemelha a um príncipe encantado, alguém prestativo e que está sempre lá para ajudar", ressalta o psiquiatra. No caso de Joe, ele faz questão de reforçar que as mulheres com quem se envolve não estão sozinhas. Adora usar a palavra "nós" e sente uma enorme necessidade de agradá-las, principalmente no início, quando ainda está na fase de conquista.

  • Enxergar o outro como alguém que precisa de salvação

    Aspirações heroicas e a constante percepção de que o outro está indo pelo caminho errado: na série, o personagem é a perfeita representação de como age uma pessoa dominadora. Ele acredita ser o dono da verdade, aquele que pode conduzir a pessoa amada à felicidade. "Muitos se consideram a cura para os males do outro, os únicos capazes de realizar seus sonhos", afirma Andréa.

  • Ficar irritado quando o par não reage da forma como esperava

    "É como um jogo de xadrez: se o parceiro não tem as reações que ele julga corretas, é sinal de que está começando a perder a partida", compara Roberto. É justamente quando isso acontece que Joe perde a paciência e mostra sua verdadeira face. "Para alguém controlador, a desobediência é altamente irritante", pontua Andréa. Mas pessoas não são brinquedos e nem podem cumprir à risca um script. Por isso, mesmo aquelas de perfil passivo não conseguem atender todas as expectativas de alguém abusivo.

  • Ter reações impulsivas e exageradas

    Como Joe, no início os parceiros abusivos têm muito autocontrole: eles querem agir da forma certa para conquistarem a pessoa desejada. Mas toda essa força de vontade acaba logo. "Elas costumam ser pessoas altamente sedutoras, pois este é um dos recursos do ser humano para manipular o outro. Mas, quando seus parceiros se recusam a agir como esperavam, se tornam altamente perigosos. Podem oscilar de humor e partir para a agressão verbal e física, sempre colocando a responsabilidade de suas ações no par", explica Andréa.

Relacionamentos