PUBLICIDADE

Topo

Xan Ravelli

7 coisas que mulheres pretas precisam entender sobre corpo e sexualidade

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram
Xan Ravelli

Xan Ravelli é o nome por trás do Radar digital Soul Vaidosa ativo desde 2013. Vaidosa de corpo e alma, musicoterapeuta por formação, #pretacrespamãede2efeminista, seu Soul Vaidosa foi o primeiro canal do YouTube Brasil a unir temáticas em beleza e feminismo negro.

Colunista do Universa

31/01/2021 04h00

Selecionei 7 pontos que mulheres pretas precisam entender sobre nossos corpos e sexualidade e quero dividir com vocês:

  • Você NÃO precisa clarear sua ppk

Quanto mais melanina nós temos, mas melanina temos propensão a ter. Portanto é natural que mulheres pretas tenham algumas partes de seu corpo ainda mais escuras. Além disso, o uso de laminas para depilação podem contribuir para a hiperpigmentação de axilas e virilhas. E tá tudo bem! Tá tudo bem você querer clarear - desde que seja SUA vontade e não imposição de um padrão eurocêntrico que, mesmo com técnicas de clareamento invasivas e agressivas, você não vai alcançar porque MULHER PRETA NUNCA É O PADRÃO. O processo de aceitação perpassa esses lugares também e uma banana pro patriarcado.

  • Lábios vaginais existem em diferentes tamanhos e formatos

Da indústria de filmes pornôs que influi na nossa vida amorosa e saúde sexual até ginecologistas que sugerem cirurgias mutiladoras. Nossa ppk sofre ataques, olhares de nojo, olhares exotizadores dentre outras atrocidades. Cirurgia plástica que tem como objetivo diminuir os lábios vaginais é um tipo de violência ginecológica motivada pelo racismo. Que a gente encontre diferentes formas entre perspectivas não eurorreferênciadas de olhar para nossa vagina, mirando África.

  • Toque, sinta. Curta seu corpo (ele é lindo, é sagrado e seu prazer também)

Em Ruanda e alguns povoados africanos o gozo feminino está diretamente ligado à prosperidade. Não tenha medo do prazer, só vá e experimente. Assista a Água Sagrada, documentário sobre o orgasmo feminino filmado em Ruanda.

  • Você é um ser sensual e sexual

A hipersexualização em geral chega muito cedo pra nós, mulheres e homens pretes. O que faz com que mulheres pretas muitas vezes passem pela adolescência e cheguem à fase adulta negando a própria sensualidade para não cair nos estereótipos da negra fogosa que está sempre pronta e disposta. Abrace sua sensualidade, seus desejos, rebole, sinta seu corpo. Sexo também é poder e você o tem.

  • Não tolere quem não respeita seu corpo e seu prazer

Em outros casos, existem mulheres pretas que abraçaram essa performance hipersexualizada e acabaram não olhando para o próprio prazer, no conceito racista de que o corpo da mulher negra não foi feito para os próprios desejos e vontades, mas para satisfazer os olhares e prazer de outra pessoa. Se afirme preta, pense no que te seduz e no que te dá prazer.

  • Faça questão de ser seduzida

Deixe-se ser servida, seduzida, bajulada, acariciada, masturbada, curtida. Muitas vezes a gente recebe carinho já pensando em como retribuiria aquele cuidado, recebemos uma massagem pensando "nossa que eu vou fazer pra ela/ele depois". Não, preta, prazer não é moeda de troca, permita-se receber! Curta o momento, concentre-se no toque, aproveite!

  • Deixe falando sozinha qualquer pessoa que diga que "mulheres negras são mais quentes na cama"

... e os racistas que se virem com seus fetiches sem você.