PUBLICIDADE

Topo

Nina Lemos

Modelo é atacada em BBB italiano. Até quando brasileira terá fama de p***?

Dayane Mello, brasileira do Big Brother da Itália - Reprodução
Dayane Mello, brasileira do Big Brother da Itália Imagem: Reprodução
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista do UOL

04/01/2021 16h05

Quase toda mulher brasileira que mora no exterior já sofreu algum tipo de preconceito. Fora do nosso país, temos fama de "putas", vagabundas e todos esses conceitos machistas. Brasileiras são "calientes", dançam samba. Nada contra prostitutas e muito menos contra quem samba bem. Mas ser perseguida por esse tipo de estereótipo não é nada legal. Somos diversas, não?

Pois esse preconceito vem sendo exibido há quatro meses e com muita audiência na Itália. Explico: uma brasileira está entre as participantes de mais destaque na edição do Big Brother deles, com famosos, o "Grande Fratello VIP". Trata-se da modelo Dayane Mello, de 31 anos. A participante, considerada uma das mais polêmicas e favoritas a ganhar o programa, já ouviu dentro da casa que na cidade de Verona seria "estuprada" (por conta de suas roupas e seu comportamento) e outros absurdos.

Ela já foi chamada de "diabólica" e criticada por ser mãe solo (alô?). Fora da casa, os comentários de ódio sobre ela na internet são terríveis. A modelo recebe ameaças de estupro e até sua filha foi ameaçada.

A história se espalhou na internet brasileira e muitos se uniram em defesa da modelo, votando, do Brasil, para que ela continue na casa. E também a defendendo dos ataques. Hoje, a tag "Daiane Merece Respeito" era uma das mais comentadas do Twitter.

Tem funcionado e Dayane é uma das favoritas a ganhar o prêmio (em parte graças a ajuda dos brasileiros), o que gerou ódio entre os telespectadores italianos, que prometem se vingar bagunçando o BBB e fazem vários comentários xenófobos contra o Brasil.

Sim, torcidas por causa de um reality show estão despertando lados horríveis do ser humano e fazendo com que um monte de preconceito venha à tona.

Essa não é a primeira vez, nem vai ser a última, que esse tipo de programa de TV vira palco de ódio e brigas ferrenhas. "Ah, mas é só um reality", vocês podem dizer. Mas, se esse ódio todo e esse preconceito estão vindo à tona é porque eles existem. Brasileiros ainda são vítimas de xenofobia na Europa em 2021. É possível, inclusive, que isso piore com a crise econômica causada pela pandemia. Crises são momentos em que o discurso de tipo "essa pessoa veio roubar o meu trabalho" costuma aumentar.

E xenofobia é inaceitável, seja em reality ou fora dele. A modelo, como todo mundo, merece, sim, respeito.

Ah, uma dica: se você mora no exterior e sofrer xenofobia, você pode chamar a polícia e denunciar. É crime.