PUBLICIDADE

Topo

Ao falar de assédio e driblar machismo, Ana Maria mostra que ainda bomba

Ana Maria Braga agrada várias gerações - Reprodução / Internet
Ana Maria Braga agrada várias gerações Imagem: Reprodução / Internet
Nina Lemos

Nina Lemos é jornalista e escritora e mora em Berlim. É feminista das antigas e uma das criadoras do 02 Neurônio, que lançou cinco livros e teve um site no UOL no começo de 2000. Foi colunista da Folha de S. Paulo, repórter especial da revista Tpm e blogueira do Estadão e do Yahoo. Escreveu também o romance "A Ditadura da Moda".

Colunista do UOL

22/09/2020 15h07

"Maravilhosa!" "Diva", "Finíssima". Esses foram alguns dos comentários feitos nas redes sociais sobre a apresentadora Ana Maria Braga, que foi a entrevistada de ontem (21) do programa Roda Viva. Ana, que faz TV há mais de 30 anos, apresenta há 20 anos um programa para "donas de casa" nas manhãs da Globo onde é acompanhada por um papagaio. Poderia ter ficado "antiga", já que essa fórmula não tem nada de atual. Mas não ficou.

Pelo contrário. Ana é queridinha do Twitter. Agrada várias gerações. Como? Sendo honesta, sincera e ligada em tudo que acontece.

Isso ficou claro na entrevista de ontem, quando Ana falou claramente sobre o câncer que enfrenta, assédio, e driblou, com elegância e sem fugir, algumas perguntas que poderiam ser constrangedoras (por que será que esse tipo de pergunta é feita mais para mulheres do que para homens?).

Ana já deve estar acostumada com isso. Ao ser perguntada sobre assédio, mostrou também que está ligada ao feminismo.

"A gente tem avançado cada vez mais, as mulheres estão se fortalecendo", disse.

E também deu sua contribuição ao contar em detalhes o assédio pelo qual passou. "Eu estava na sala de um diretor, que tinha me pedido um projeto que seria importante para a TV brasileira, fiz um belo programa jornalístico. Quando apresentei, ele levantou da mesa e foi para cima de mim. E eu fugi. Fugi com tanto ímpeto que escorreguei de uma escada. Quebrei um braço na época". Ela disse também que nada aconteceu com o sujeito, que continuou sua carreira normalmente.

Ana Maria nunca tinha tocado nesse assunto. Assim como muitas mulheres no mundo todo, provavelmente se sente encorajada só agora a tocar no assunto, já que muitas mulheres fazem o mesmo. E, por isso, mesmo, presta um serviço. Quantas mulheres podem ter coragem de dividir sua experiência de assédio depois de ouvir que a respeitada apresentadora de TV também já passou pelo mesmo?

Ser mulher não é fácil. E não é só por causa do assédio. Ana Maria sempre mostrou ser uma mulher livre. Já casou quatro vezes e, muitas vezes, se relacionou com homens mais novos do que ela. Normal. Bem, só seria considerado normal se ela fosse homem, certo?

Um famoso da TV que namora e casa com mulheres mais novas, em geral está só sendo como todos os outros. Já uma mulher?

Pois é, Ana ouviu indagações sobre desejo sexual e namorado mais jovem durante a entrevista. Não se abalou. Respondeu com um "nunca ninguém reclamou." E ainda prestou o serviço de falar abertamente sobre quimioterapia.

Ana enfrenta um câncer de pulmão. Essa é a quarta vez em que tem a doença. Mas entre uma internação por pneumonia e uma quimio... Casou de novo! Não é por acaso que a Internet adora a Ana Maria Braga.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL