PUBLICIDADE

Topo

De olhos bem abertos: foxy eye e como tendências podem esconder preconceito

Gerson Fragoso/@c.i.c.l.o.p.i.c.o
Imagem: Gerson Fragoso/@c.i.c.l.o.p.i.c.o
Fabiana Gomes

Fabi Gomes é maquiadora e bonne vivante – gosta de das coisas boas da vida, como artes, literatura, sexo, cinema, culinária, viagens. Está sempre atenta ao poder transformador e aos rumos da beleza.

Colunista do UOL

20/07/2020 04h00

Em sua obra prima Mona Lisa, Leonardo da Vinci alongou os olhos de La Gioconda, num belo delineado esfumado. Desde o antigo Egito, a prática de alongar os olhos desperta sedução e sempre esteve presente na beleza. A lista de musas adeptas à prática é extensa: Cleópatra, Josephine Baker, Maria Felix, Maria Callas, Marilyn Monroe, Audrey Hepburn, Nina Simone, Brigitte Bardot, Rupaul, até a musa-mor do estilo, Elza Soares! A artista Tamara de Lempicka quase sempre pintava suas mulheres com os olhos alongados (sim, parece que estamos falando basicamente do Ocidente, mas isso é assunto pra outro artigo).

Para quem não tem os olhos naturalmente puxados, o mercado oferece diversas opções para que se possa alcançar este alongamento dos olhos. Tais opções vão desde técnicas de maquiagem até procedimentos estéticos e cirúrgicos.

Eis que surge a tendência "foxy eyes". Mas afinal, qual é o problema da tendência? Vamos começar pelo começo. O que é foxy eyes? Bem, fox é raposa em inglês. Digamos, então, que se trata de um olho que remete ao olho puxadinho da raposa. Falando de maquiagem: não seria, então, uma variação do delineado, aquela famosa técnica, amplamente utilizada e explorada enquanto elemento de sedução e embelezamento?

Sim, parece o bom e velho delineado, disfarçado com outra fantasia e com outro nome.

Na ânsia de mostrar novidades e criar assunto, o mercado tem por hábito rebatizar antigas práticas. Agora, o delineado, que já foi "gatinho", transformou-se em foxy eye.

Nos últimos meses, o tal foxy eye vem ganhando espaço entre celebridades e influenciadores, proporcionando mais uma daquelas ondas de tutoriais sobre como conseguir o "novo look". Segundo o Google, as buscas pelo termo "foxy eyes" aumentaram em mais de 1.250%. A onda em torno da tendência, ultrapassa os tutoriais e está promovendo discussões acaloradas sobre sua estética de possível conotação racista.

Gerando comentários como:

"Se acha feio, é preconceituoso [até entendo esse ponto]. Agora, quando acha bonito e quer imitar, também é preconceito? Acho que aí também é exagero." "Quanta bobagem. Cada um faz o que quiser com seus olhos, estica, arredonda, aumenta, diminui, etc etc. Fala sério!".

Algumas meninas de origem asiática se manifestaram em suas contas no Instagram. Entre elas, as irmãs do @twolostkids, que escreveram:

"Meus olhos não são uma tendência. Não podemos simplesmente lavar o rosto e mudar o formato dos nossos olhos. Por isso, trouxemos essa reflexão por aqui. Por que nossos olhos foram motivo de piada e, hoje, quando reproduzidos em pessoas brancas isso de repente vira bonito e tendência?"

Já @miwakashiwagi postou:

"A fetichização é um processo que trata pessoas racializadas, neste caso, a gente tá tratando de amarelos, como um fetiche da branquitude."

A maquiadora Kamila Hee, em entrevista a Universa, disse: "O foxy eyes não é intencionalmente racista, mas pode trazer dor para quem passou por situações difíceis por nascer com os olhos puxados".

Após anos de silêncio e conivência por parte da gente branca, racismo e apropriação cultural têm sido assuntos constantes, necessários e urgentes. Estamos mais atentos aos temas. Portanto, falamos mais a respeito. Muita gente se incomoda com a discussão e tenta diminuir sua importância com expressões como problematização chique, mimimi, "tá muito difícil viver".

A polêmica do foxy eye nos permite analisar os muitos aspectos atrelados ao tema. Fiquei pensando, como deve ser difícil para alguém que sofreu preconceito, bullying e discriminação em função de uma característica física, ver esta mesma característica ser enaltecida como belo, como nova tendência.

Mas isto só vale DESDE QUE esteja representada numa pessoa branca. Seus olhos puxados são motivo de piadas perversas e comentários jocosos a vida toda, mas quando são "transportados"para uma pessoa branca, se tornam motivo de admiração. Como deve ser doloroso ver meninas brancas posando para selfies com as mãos puxando os olhos num gesto semelhante ao que muitas vezes foi (e ainda é) usado para ofender.

Aí vem o outro e diz: e quando os asiáticos fazem cirurgia para "ocidentalizar" os olhos? Daí não tem problema? Tem sim meu amor, tem um problema de sofrimento e preconceito que os leva a fazer a tal cirurgia para se sentirem aceitos, para se sentirem belos.

Talvez isto cesse um dia, quando não precisarmos mais da chancela branca de padrão de qualidade e beleza para que todos se sintam pertencentes. Não vamos deixar de fazer delineado porque amamos e achamos lindo, mas as pessoas precisam ser escutadas e acolhidas nas suas falas.

Não, não se trata apenas de maquiagem. Valer-se da onomatopeia"mimimi" sempre que um assunto exige mais escuta, atenção, reflexão e conhecimento não promove debate. Ao contrário, remete à imagem de uma criança mimada e birrenta tapando os ouvidos quando é contrariada.