PUBLICIDADE

Topo

Cris Guterres

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Como se reerguer? A importância de conversar sobre fracassos ao empreender

Universa Talks 2021 - Empreendedorismo: evento acontece hoje - Arte UOL
Universa Talks 2021 - Empreendedorismo: evento acontece hoje Imagem: Arte UOL
Conteúdo exclusivo para assinantes
Cristiane Guterres

Cris Guterres é jornalista, empreendedora e sonhadora. Proprietária do Atrium Restaurante, palestra sobre diversidade, motivação e liderança feminina. Sua especialidade é mostrar o quanto somos fortes e podemos mudar, com competência, qualquer situação opressora ao nosso redor.

Colunista de Universa

28/09/2021 04h00

Hoje é um dia especial para Universa: tem evento da firma! A edição do Universa Talks 2021 vem permitir o diálogo para as mulheres no empreendedorismo e eu fui convidada para comandar o show como apresentadora.

Me sinto intensamente grata pelo convite, ainda mais que no início do ano fui à falência com uma das minhas empresas e ao mesmo tempo estou alçando voos de ótimo porte com a empresa que abri na falência da outra. Não sei se todo empreendedor é assim, mas eu vou fazendo das desgraças munição para as próximas vitórias.

No momento em que me vi no olho do furacão, recebi um presente lindo do meu Babalorixá Moises Patrício que estava acompanhando todo o meu desespero. No bilhete que acompanhava o presente duas frases escrita à lápis num papel branco: "O que não te desafia não te transforma. Receba seu caminho."

Quando entendi que estava falindo com meu restaurante me senti um nada, mesmo sabendo que os fatores que ocasionavam a minha perda eram maiores do que eu, estávamos no meio de uma pandemia sem precedentes e sem governo. Fracasso é um sentimento doloroso demais, não à toa muitos desistem. Ao longo de 2020, conheci três colegas empreendedores que se suicidaram diante de toda a situação de dívidas e perdas que se construiu diante deles.

O bilhete de Moisés veio me auxiliar a fincar os pés no chão e entender que naquela situação eu tinha muito a aprender. Foi o momento em que mais aprendi na vida. E já fui utilizando este aprendizado para desenvolver a nova empresa que nascia, afinal de contas eu não tinha opção que não empreender novamente, só que desta vez fazendo algo que que eu realmente amo, comunicação.

Empreender é atividade de risco iminente. Num momento temos nós e toda a nossa sagacidade para construir algo brilhante e durador. De repente pode não restar nada além de muitas dívidas, e olha que de dívida estou entendendo muito bem.

O fim do meu restaurante me deixou com incumbências financeiras até a próxima geração. Mas nem todo mundo está a fim de conversar sobre os erros, a maioria quer falar das vitórias, de altos faturamentos. Sem contar os empreendedores de palco que adoram idolatrar a meritocracia e o esforço individual do sucesso, mas começam a empreender com os dólares que pegaram emprestado do pai e do tio.

O Universa Talks Empreendedorismo é uma oportunidade para discutir o que podemos fazer para não falir como a Cris faliu e se falirmos como ela, de que maneira vamos nos reerguer. Outro foco do evento é entender como nós mulheres podemos nos posicionar neste cenário ainda pandêmico onde fomos as maiores atingidas e ainda vivemos uma realidade sistêmica onde homens estudam menos e ganham mais, segundo dados de 2018 do da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Uma das alternativas que nós mulheres enxergamos para driblar o maior índice de desemprego no país de todos os tempos foi empreender. Segundo dados da Rede Mulher Empreendedora, o número de mulheres tocando seus próprios negócios cresceu cerca de 40%. Aliás, o empreendedorismo feminino sempre foi a alternativa à nossa exclusão do mercado de trabalho por uma infinidade de motivos que perpassam, por exemplo, por maternidade e racismo.

Seja por necessidade ou por oportunidade, nós estamos driblando todas as dificuldades para nos tornarmos as donas da p$rr@ toda já há muitos anos. Se formos citar as mulheres negras, então estamos falando de séculos. Desde o período escravocrata as mulheres negras já vendiam doces de tabuleiro e com o dinheiro compravam a liberdade de outros escravizados.

Discutir empreendedorismo agora é mais que necessário. É possibilitar um sopro de vento fresco na cara de quem está fervendo num país com índices altíssimos de inflação, perdas econômicas significativas, luto por nossos amigos e familiares que se foram diante do descaso com a covid 19. É uma oportunidade de desenvolvimento e aprendizado.

Por isso estou te esperando no Universa Talks Empreendedorismo pra que juntos a gente descubra o que nos transforma.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL