PUBLICIDADE

Topo

Ana Canosa

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Prazer, motivação e foco: efeitos positivos do sexo duram mais nas mulheres

Prostock-Studio/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Prostock-Studio/Getty Images/iStockphoto
só para assinantes
Ana Canosa

Ana Canosa é psicóloga clínica, sexóloga, professora, escritora e comunicadora. Apresenta o podcast Sexoterapia, em Universa/UOL. Sendo há 28 anos testemunha das mais diferentes histórias afetivas, é categórica em afirmar que muitas vezes, só o amor não é suficiente. Fala de sexualidade desde que se entende por gente, unindo seus estudos acadêmicos com a experiência clínica e seu olhar de observação do mundo.

Colunista de Universa

02/07/2022 04h00

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

Se você acredita que sexo melhora o humor, você não está sozinha. Certamente que os benefícios da atividade sexual sobre a saúde mental têm relação com as substâncias secretadas pelo cérebro envolvidas na resposta sexual, como a endorfina (sensação de prazer) , a ocitocina (vínculo e confiança) e a dopamina (motivação). Mas não só. Há uma série de gratificações emocionais obtidas em um sexo consentido e prazeroso, como sentir-se desejado, admirado e amado, reforçando a autoimagem e a autoestima.

Até mesmo um bom orgasmo obtido a partir da masturbação é capaz de gerar bem-estar. No caso das mulheres, por exemplo, os efeitos da dopamina - neurotransmissor ligado às sensações de prazer, motivação e foco - são mais duradouros do que nos homens. Isso acontece porque a fase de resolução do ciclo da resposta sexual, que se dá após o orgasmo, é mais lenta nas mulheres.

Enquanto os homens perdem logo a ereção e o corpo recebe noradrenalina (relaxamento) e prolactina - o hormônio antitesão - as mulheres são capazes de ter outros orgasmos e manter-se com energia. Isso explica também o clichê - após o sexo homens têm sono e mulheres querem conversar. Sei que não se aplica a todas as situações, nem a todo grupo de homens e mulheres, mas no geral é assim que funciona.

Uma pesquisa norte-americana com 152 estudantes universitários comprovou que o sexo pode influenciar positivamente na nossa saúde mental e bem-estar. Usando como recurso para a investigação relatórios diários dos participantes sobre atividade sexual, significado da vida, humor positivo (por exemplo, feliz e animado) e negativo (por exemplo, ansioso e triste), os pesquisadores descobriram que os jovens que relataram maior sentido na vida, bem como níveis mais altos de humor positivo, eram os que tinham feito sexo no dia anterior. Infelizmente esse efeito se mantinha apenas um dia. No entanto, se a qualidade do sexo fosse avaliada como boa, o bem-estar perdurava por dois dias seguidos.

Cabe a pergunta: será que não é o bem-estar positivo que prediz mais sexo? Os pesquisadores também testaram essa possibilidade, mas não encontraram associação - ao menos com essa amostra, que não é grande. Mais estudos, portanto, devem investigar essa hipótese.

Mas é uma coisa é fato: mulheres devem aprender a tirar proveito do efeito positivo pós orgasmo, variando as motivações para se ter um orgasmo. Não é só descarregar tensão sexual, ter prazer, intimidade, sentir-se gostosa, amada ou desejada, mas para, por exemplo, escrever o TCC, terminar um relatório, desenhar um projeto novo, etc.

Mulheres: tenham um orgasmo e saiam para ganhar o mundo!