PUBLICIDADE

Topo

Ana Canosa

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Meu namorado só tem ereção na masturbação. O problema é comigo?

 40 a 50% dos homens acima de 60 anos tem problemas com a ereção - fizkes/Getty Images/iStockphoto
40 a 50% dos homens acima de 60 anos tem problemas com a ereção Imagem: fizkes/Getty Images/iStockphoto
Ana Canosa

Ana Canosa é psicóloga clínica, sexóloga, professora, escritora e comunicadora. Apresenta o podcast Sexoterapia, em Universa/UOL. Sendo há 28 anos testemunha das mais diferentes histórias afetivas, é categórica em afirmar que muitas vezes, só o amor não é suficiente. Fala de sexualidade desde que se entende por gente, unindo seus estudos acadêmicos com a experiência clínica e seu olhar de observação do mundo.

Colunista de Universa

02/03/2021 04h00

Tenho 41 anos e namoro um homem de 53 anos. Ele adora sexo e a nossa química é muito boa. Ele adora me proporcionar prazer e, normalmente tenho vários orgasmos. O meu problema é que ele vai perdendo a ereção durante o sexo. Pra conseguir atingir o orgasmo, ele tem de se masturbar, nem adianta ser eu a estimular o pênis dele. Eu sinto como se não fosse capaz de lhe dar prazer. Existe alguma justificativa para ele ter de se masturbar para atingir o orgasmo? Será da idade?

A idade é sim um fator de risco para a disfunção erétil. Ao longo do tempo, todo o corpo vai dando sinais do envelhecimento, e com o mecanismo da ereção não seria diferente. A capacidade erétil pode ser afetada em sua rigidez a fim de conseguir uma penetração desde o início da relação ou mantê-la durante o sexo, como acontece com seu namorado. Para você ter uma ideia, cerca de 40% a 50% dos homens acima de 60 anos têm problemas com a ereção.

Então, aos 53 anos não é esperado que isso aconteça sempre, a menos que seu namorado esteja com problemas de saúde que afetem todo o sistema erétil, como diabetes Mellito e outros problemas cardiovasculares. Fumo, obesidade e sedentarismo são fatores de risco para DE.

Geralmente a disfunção erétil de causa orgânica acontece de maneira generalizada, em todas as práticas sexuais, e não situacional. Se o seu namorado consegue manter uma ereção firme durante a prática masturbatória, precisamos pensar em outras razões associadas, como as causas emocionais ou comportamentais.

A disfunção erétil (DE) é talvez o maior fantasma da sexualidade masculina, pois ter um pênis ereto é a principal via de acesso para o orgasmo, a partir de sua estimulação. Além disso, a construção de masculinidade tem sido apoiada em uma imagem "falocêntrica", de um pênis extremamente potente, incansável, imbatível. Essa imagem produz crenças como "preciso sempre ter uma ereção"; "não posso recusar sexo"; "tenho que ser sempre ativo e tomar a iniciativa"; "preciso ter várias mulheres" etc. Então, a DE é associada a uma falibilidade que provoca sentimento de impotência generalizada, diante da vida, um insucesso total. Sendo assim, seria preciso entender se o seu namorado está repetindo um padrão de ansiedade, baseado na experiência anterior, o que é muito comum.

O homem perde a ereção por qualquer fator natural, como estresse, cansaço, falta de excitação, e daí passa a ficar preocupado que isso aconteça novamente e vai para a relação com essa ansiedade antecipatória, que aumenta a descarga de adrenalina no corpo, dificultando a ereção. Há muitos homens jovens, completamente saudáveis, que sofrem com isso.

O receio de ejacular rápido também pode contribuir, pois o homem passa muito tempo controlando a ejaculação, tornando a atividade muito mais mental do que sensorial, além de acabar perdendo a ereção por cansaço físico mesmo. O que pode também estar acontecendo é um tipo de condicionamento: ele está acostumado a ter orgasmo ao se masturbar, ou porque a cena da masturbação é muito excitante, ou porque ele faz uma pressão e emprega um ritmo muito particular, que penetração nenhuma é capaz de favorecer. Então, para garantir o prazer ele já parte para a prática masturbatória.

Eu entendo que isso possa lhe incomodar, mas achei interessante que você assumiu o sentimento de "impotência" dele, quando diz "...o meu problema é que ele vai perdendo a ereção" e "Eu sinto como se não fosse capaz e suficiente". Claro que, se você gosta da penetração, o fato dele ter uma DE será também um problema seu, mas veja que você está caindo na cilada, de tomar para si a questão, como se fosse sua obrigação cuidar da potência do seu parceiro. Quantas mulheres já não ouviram dos homens que a culpa é delas, que elas estão feias, largadas, que não sabem fazer sexo, etc, na tentativa de se esconderem e não assumirem sua vulnerabilidade.

Acredite, pode não ter nada a ver com você. Será preciso que vocês conversem abertamente sobre isso para entender as razões e ajustar a relação sexual, caso seja necessário.

Explique que você se preocupa com a satisfação sexual dele, mas antes disso avalie se o seu incômodo é mais emocional do que físico: o tempo de penetração é insuficiente para sua satisfação sexual ou você está mais preocupada em não ser tão desejada por ele? Seja sincera e abra seu coração. Consultar um urologista é fundamental para afastar causas físicas e uma visita a um terapeuta sexual pode ajudar muito, caso vocês decidam que a DE está afetando a satisfação sexual do casal.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL