PUBLICIDADE
Topo

Xiaomi Mi Note 10 tem câmeras e bateria de top, mas falha no processamento

Helton Simões Gomes

De Tilt, em São Paulo

22/01/2020 04h00

O último smartphone apresentado pela Xiaomi no ano em que a chinesa retornou ao Brasil foi uma mensagem. Cinco câmeras, a primeira lente do mundo a tirar fotos com 108 Megapixels, bateria com mais de 5.000 mAh.

O Mi Note 10 tem tudo isso, mas, ainda assim, é classificado como aparelho intermediário. Ou seja, está um degrau abaixo da categoria de iPhone 11 e Galaxy S10. E o recado é este: se um celular mediano entrega tudo isso, o que deveria trazer um top de linha? Não é difícil imaginar a resposta: um smartphone premium precisa ter isso. E muito mais.

Depois de usar o Mi Note 10 por algumas semanas, é impossível não concluir que é o melhor celular da Xiaomi no país. Nem por isso, fica livre de problemas. Por exemplo: por ser poderoso demais, o conjunto de câmeras produz imagens que exige mais do que o celular consegue entregar. Se você aguentar esperar alguns segundinhos para ver sua foto, então tudo bem.

Outro detalhe, Se um dia os intermediários já foram sinônimo de celular com preço em conta e especificações próximas das de um top, isso já não é mais verdade atualmente. E o Mi Note 10 é exemplo disso, já que é vendido pela Xiaomi em parceria com a Vivo a partir de R$ 4.099. Pesquisando, até é possível encontrá-lo por volta de R$ 2,6 mil. Ainda assim, está longe de ser um baratinho.

Mas não é pelo preço que você compraria um smartphones desses, não é mesmo? Vamos ao que faz do Mi Note 10 o pé na porta da Xiaomi em sua reestreia por aqui.


Divulgação/Xiaomi

Mi Note 10

Preço

R$ 4.099 R$ 2.657,88 (Shopping UOL - 21/01/2020)
TILT
4,4 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Pontos Positivos

  • Câmeras, muitas câmeras
  • Bateria gigante

Pontos Negativos

  • Design das câmeras
  • Processamento é lento

Veredito

O Mi Note 10 encanta com as câmeras, que fazem de tudo, e a bateria, que o mantém vivo por muito tempo. O processamento, aquém de todo o resto, irrita, assim como o alinhamento das câmeras. Não tem cara de intermediário, mas custa como um, o que é ótimo.

Se estivesse em outro celular, a tela seria um trunfo e tanto. No Mi Note 10, ela é só boa. Com 6,47 tamanho de polegadas, o display de Amoled e resolução Full HD+. Tem um entalhezinho no alto em formato de gota para acomodar a câmera de selfie, mas você se acostuma. Caso a presença do detalhe seja insuportável, é possível sumir com ele (vá a "configurações" > "tela" > "entalhe" > "ocultar entalhe").

Por tudo isso, as imagens mostradas na tela são nítidas em qualquer ambiente. Até debaixo de Sol forte, quando a claridade poderia atrapalhar. Isso ocorre devido ao brilho da tela (600 nits), que beira o de um iPhone 11 (625 nits).

As bordas curvas dão um toque de modernidade, mas sem muita utilidade. Eficiência mesmo você encontra no desbloqueio do aparelho por digital feito na própria tela. Ele é tão rápido que a Xiaomi criou um efeito visual para mostrar que está em uso. Ele também é a razão para ser impossível deixar o display sem marcas de dedo.

Quando o assunto é design, o Mi Note 10 possui alguns toques de originalidade. As laterais do aparelho são de metal e a traseira é de vidro. Há proteção Gorila Glass tanto na tela quanto nas costas do celular. E, acredite, você vai precisar dessa proteção. Afinal, a curva da tela faz com que ela fique mais suscetível a não resistir a quedas.

Um detalhe digno de nota no corpo do Mi Note 10 é a entrada para fones. Ela não é a mesma destinada ao carregador de bateria. Ou seja, é o bom e velho conector P2 de volta. O problema é que a Xiaomi não inclui um fone na caixinha. Você que lute para arranjar um.

Virando o celular é que se nota o que faz do Mi Note 10 um celular único. A cor assume um efeito degrade. Bonito, mas você já viu isso por aí. Diferente mesmo é a disposição das cinco câmeras. É tanta câmera que só três delas ficam dentro do cercadinho criado para as lentes.

Aqui há um problema. As câmeras estão posicionadas no canto superior esquerdo, na vertical, uma imediatamente abaixo da outra. Com isso, toda vez que precisei usar as duas lentes inferiores, tive de fazer um contorcionismo para a fotografia não ser a dos meus dedos. Caso escorregasse minha mão um pouquinho pelo chassi, para tirar meus dedos do campo de visão da câmera, eu corria o risco de ver o celular dar um duplo twist carpado e saltar rumo a um fim trágico no chão. Acontece que o celular é grande e seu peso, 208 gramas, não ajuda na hora de pegá-lo.

Desculpe a repetição, mas, fosse outro celular, a bateria seria o motivo que levaria você comprar o Mi Note 10. Ela tem capacidade de 5.260 mAh. Isso quer dizer que ele consegue fácil, fácil ficar pelo menos um dia e meio sem uma nova recarga. Se você não exigir tanto, chega a dois ou três dias longe da tomada.

Não bastasse a ótima autonomia, o smartphone vem com um carregador potente, que mal demora uma hora para atingir os 100% de carga.

Finalmente. Chegamos ao motivo que faria você coçar o bolso pelo aparelho. Ou melhor, aos cinco motivos. Antes de tudo, aí vai uma revista na tropa. No topo do celular, há uma câmera telefoto com zoom de 5 Megapixels que pode fazer "upscalling", ou seja, um redimensionamento de imagens para chegar até 8 MP. A que fica abaixo dela é outra telefoto, com capacidade de 12 MP e zoom ótico de duas vezes. A do meio é a principal, que faz fotos com nada menos do que 108 MP. As que ficam fora do cercadinho de câmeras são a grande angular, de 20 MP, e a macro, de 2 MP, que serve para tirar foto de coisas bem pequenininhas.

Se você simplesmente abrir a câmera e tirar uma foto, não se assuste. Sua foto não vai sair com 108 MP. O lance é que esse sensor usa a tecnologia de Quad-Pixel. É como se juntasse quatro pixels normais em um grande pixel, que absorve mais luz e é capaz de compor fotos mais nítidas. Assim, as fotos vão sair com 27 MP mais ou menos.

Para fotos com todos os 108 MP, você tem que deslizar o menu da câmera para o lado até chegar em 108 MP. Essas fotos têm resolução suficiente para serem colocadas em um outdoor. Como dificilmente você vai fazer isso, saiba que elas podem captar detalhes que a olho nu não seriam possíveis notar.

As outras lentes têm lá sua utilidade, principalmente a macro, que capta os mínimos detalhes de coisas pequenas. Ainda assim, já daria para sobreviver apenas com a lente principal. Um bom detalhe é que combinando zoom óptico e digital, dá para chegar a um zoom híbrido de 50 vezes, marca igual ao do P30 Pro.

Um dos reveses desse celular é o processador, um Snapdragon 730 G, de oito núcleos e de 2,2 Gigahertz. Ele está longe de ser ruim, mas não é tão poderoso como os chips da família Snapdragon 800, os mais potentes da Qualcomm.

E isso você percebe em algumas tarefas bem simples. Ao tirar uma foto de 108 MP, o celular demora um tempinho para processar a imagem. Se você quiser abrir a foto e ver seus detalhes com nitidez, tem de esperar um pouco mais.

Para rodar aplicativos, não tem problema nenhum. E programas que exigem como os de jogos podem ter seu funcionamento com uma função gamers.

O Mi Note 10 é de longe o melhor intermediário de 2019. Algumas de suas características, como o conjunto de câmeras e a bateria, fariam smartphones premium morrerem de inveja.

O preço, a partir de R$ 4.099, porém, joga o custo-benefício do smartphone lá embaixo. Mas isso só caso você queira um aparelho que apenas dê para o gasto. Se sua ideia é comprar um top de linha, o Mi Note 10 vira uma ótima opção. Afinal, ele custa menos, mas é tão poderoso quanto.

Ele só derrapa justamente por não ser enquadrado entre os top e não ter um processador adequado à categoria. Com isso, o fascínio gerado pelas fotos é consumido pelas pequenas irritações por ter de aguardar para as imagens ficarem prontas - em tempos de vida digital, esses três segundos geram tanta ansiedade quanto a que você amargava durante os três dias que levava para revelar um filme fotográfico da Kodak.

Especificações técnicas
  • Sistema Operacional

  • MIUI 11 (Android 9 Pie)

  • Dimensões

  • 157,8 x 74,2 x 9,67 mm e 208 gramas

  • Cor

  • preto, verde e branco

  • Preço

  • R$ 4.099

Tela
  • Tipo

  • Super Amoled

  • Tamanho

  • 6,47 polegadas

  • Resolução

  • Full HD+

Câmera
  • Câmera Frontal

  • 32 MP

  • Câmera Traseira

  • 108 MP (principal); 20 MP (grande angular); 12 MP (telefoto); 5MP (telefoto); 2 MP (macro)

Dados técnicos
  • Processador

  • Snapdragon 730G

  • Armazenamento

  • 128 GB

  • Memória

  • 6 GB de RAM

  • Bateria

  • 5.260 mAh