PUBLICIDADE
Topo

Com o 5G, várias operações policiais terão drones, diz ministro Fábio Faria

Fábio Faria, ministro das Comunicações, no Congresso de Operações Policiais, em Florianópolis - Th.midias/terassan
Fábio Faria, ministro das Comunicações, no Congresso de Operações Policiais, em Florianópolis Imagem: Th.midias/terassan

Abinoan Santiago*

Colaboração para Tilt, em Florianópolis

22/03/2022 16h34Atualizada em 22/03/2022 20h29

Operações policiais no Brasil terão ajuda de drones conforme o 5G for implantado no país. É o que prevê Fábio Faria, ministro das Comunicações, pasta que comandou o leilão para exploração da conexão.

A afirmação foi dada nesta terça-feira (22) durante o Congresso de Operações Policiais, que acontece até quinta-feira (24) em Florianópolis. De acordo com o ministro, as polícias deixam de usar equipamentos modernos em alguns lugares do país por causa da falta de internet.

"Com o 5G, vamos começar a ver várias operações policiais no Brasil com uso de drones. Eles irão entrar nas operações", disse Faria, para uma plateia composta por militares de diversos lugares do país.

"A PRF [Polícia Rodoviária Federal] não consegue hoje no meio da operação falar com outras polícias durante uma operação. Mas com o 5G iremos ter essa possibilidade porque a latência é quase zero", completou.

A latência na qual o ministro se refere é o tempo de resposta entre o comando e a sua execução. Essa característica é importante para que o 5G funcione com vários dispositivos conectados mesmo tempo.

Como ela é baixa, ela possibilita, por exemplo, que carros circulem sem motorista com maior precisão.

A meta do governo para o 5G, segundo o seu edital, é que todas as capitais brasileiras recebam a tecnologia até julho deste ano — mesmo que existam alguns temores de que nem todos os bairros dessas cidades conseguirão atingir a meta. As regras do leilão ainda definem que até 2028 todas as cidades acima de 30 mil habitantes terão a internet de quinta geração.

"As operações policiais serão parecidas com as dos filmes futuristas. Isso está muito próximo. Vai ficar cada vez mais difícil para os bandidos com o 5G", aposta o ministro.

Postes com câmeras

De acordo com Faria, o governo brasileiro conversa com a empresa israelense Juganu a fim de que importe uma tecnologia para instalar câmeras de vigilância em postes de iluminação pública no país.

O diálogo ainda é considerado embrionário, informou o ministro— que também não detalhou como essa tecnologia seria administrada no Brasil.

"Estamos fazendo uma parceria com o governo de Israel, com a empresa Juganu. Eles desenvolveram tecnologias, nas quais instalam câmeras 5G nos postos de iluminação pública. Precisaria de apenas uma fibra ótica em um único poste para abranger outros em um raio de 100 km via wireless", disse durante sua palestra.

"Esse poste também faz o trabalho de radar, identificando pessoas. Vou para os EUA conversar com a empresa falar sobre essa tecnologia", acrescentou.

Quando sua cidade receberá o 5G?

O desafio da implantação do 5G, como já mostrou uma reportagem de Tilt, é superar burocracias para instalação de infraestrutura de telecomunicações, as chamadas torres ERBs (Estações de Rádio Base), antenas e torres que transmitem o sinal da operadora para o seu celular. Muitas cidades ainda possuem leis que deixam esse processo mais longo.

Acredita-se que a demanda do 5G exigirá de quatro a cinco vezes mais antenas do que as que estão instaladas atualmente para que ele possa funcionar em suas diferentes faixas de frequência (como se fossem pistas de uma rodovia pelas quais a tecnologia funciona).

O cronograma previsto de implementação do 5G pelo Governo Federal segue assim:

  • Cidades com mais de 500 mil habitantes: até julho de 2025
  • Cidades com mais de 200 mil habitantes: até julho de 2026
  • Cidades com mais de 100 mil habitantes: até julho de 2027
  • Cidades com mais de 30 mil habitantes: até julho de 2028

Como o 5G vai revolucionar a sua vida | Deu Tilt #13

*Com matéria de Felipe Oliveira, em colaboração para Tilt.