PUBLICIDADE
Topo

Aspirador robô usado vale a pena? Siga esses cuidados antes de comprar

Elena Mozhvilo/ Unsplash
Imagem: Elena Mozhvilo/ Unsplash

Rosália Vasconcelos

Colaboração para Tilt, do Recife

15/12/2021 04h00

A alta do dólar e a falta de chip para a fabricação têm encarecido o preço de eletrônicos novos. A solução para alguns consumidores tem sido recorrer a produtos usados. Um dos itens de segunda mão mais procurados é o aspirador de pó robô, segundo um levantamento realizado pelo site de compra e venda OLX.

Os dados mostram que houve um aumento de 143% nas vendas do eletrodoméstico usado por meio da plataforma em outubro, se comparado ao mesmo período de 2020. O preço médio do item foi de R$ 332, valor que pode ser até 35% mais em conta do que um novo.

Para que o custo-benefício do aspirador robô de segunda mão valha a pena, a compra exige uma cautela ainda maior, assim como de um smartphone usado, segundo especialistas ouvidos por Tilt. Três componentes básicos precisam ser levados em consideração antes da compra:

  • O elemento filtrante: responsável por filtrar a sujeira e micro-organismos. É o mais frágil do aspirador e pode ser necessário investir em novos filtros. Dependendo da marca do produto, o comprador pode ter dificuldades de encontrar. Vale a pesquisa.
  • Motores: é preciso ter garantias de que ele está em bom funcionamento. Caso falhem, um técnico precisará ser chamado para consertar.
  • Bateria: é a peça mais difícil de ser encontrada caso dê algum problema. É importante então pesquisar se a marca do produto que você está de olho possui peças disponíveis no Brasil.

A bateria: um capítulo especial

O professor do departamento de engenharia elétrica da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), Pedro Rosas, afirma que basicamente a vida útil de um aspirador robô está relacionada à bateria. E ela dura cerca de três ou quatro anos, a depender do uso e do zelo, mas é difícil de avaliar a olho nu o seu estado de conservação.

"Somente com o uso e testando temos condições de avaliar melhor", diz. A bateria, aliás, é o componente coringa do aspirador robô, porque é ela que dá possibilidade do equipamento se recarregar e executar a limpeza doméstica sozinho, enquanto a pessoa realiza outras atividades.

Outro ponto importante é que, no momento da compra, a pessoa deve escolher um equipamento que se adeque ao tamanho do seu imóvel. Alguns são apropriados para limpar áreas de até 100 metros quadrados e outros para áreas de até 200 metros quadrados. Por isso, é preciso conferir as especificações técnicas do produto.

"O aparelho pode ser usado todo dia, mas escolher um ideal ao tamanho do imóvel e que se encaixa na sua necessidade tem relação direta, inclusive, com a duração da bateria e, consequentemente, com a vida útil do equipamento", diz o professor de física dos materiais da UPE (Universidade de Pernambuco), Ricardo Ataíde.

Devido ao tamanho e à capacidade da bateria, alguns aspiradores robôs podem chegar a R$ 3 mil.

Outros pontos para ficar de olho

Na hora de comprar um aspirador robô usado é importante ainda observar outros itens do aparelho. Por exemplo, se todos os motores estão funcionando, se as vassourinhas estão rotacionando, se ele faz os movimentos esperados para direita e esquerda, para frente e para trás.

"É preciso também verificar se os acessórios estão instalados e acompanham o aspirador robô usado, como o filtro de saída e o filtro do pó. Alguns têm a possibilidade de passar pano com um reservatório. Nesse caso, verificar se ele está completo", diz Rosas.

O professor destaca que, antes de comprar, é fundamental comparar um modelo novo ao usado para responder aos pontos abaixo:

  1. O preço de um novo em relação a um usado é mais vantajoso?
  2. Quais são as condição e aspectos do equipamento usado? Valem mais do que comprar um novo? -- caso esteja muito usado, talvez não valha a pena;
  3. Existência de peças de fácil reposição? Quais são os custos delas? --considere principalmente aquelas que são essenciais para o funcionamento do aspirador robô.

"Nos sites de comércio eletrônico, é possível encontrar um grande mercado de peças de reposição para vários modelos e também os seus representantes", afirma.

Vou comprar, e agora?

  • Pesquise antes o preço de produtos similares para ter uma ideia do valor;
  • Tire todas as dúvidas com o vendedor e peça fotos. Se possível, também vídeos do robô funcionando;
  • Negocie. A vantagem da compra de usados é que sempre há margem para pedir um desconto;
  • Só transfira o valor após a entrega do item;
  • Desconfie se o vendedor aparentar pressa ou ansiedade para fechar o negócio;
  • Desconfie também de valores muito abaixo do mercado. Esteja atento se o vendedor alegar que ganhou o produto em uma promoção/sorteio, que é ex-funcionário ou afirma trabalhar nas fabricantes/marcas, e que, a partir de algumas dessas possibilidades, conseguiu um bom desconto ao adquiri-lo;
  • Antes de concluir a compra, solicite a nota fiscal para o vendedor, assim você tem certeza da procedência do eletrodoméstico;
  • Evite concluir transações quando estiver fazendo outras tarefas, isso faz com que as pessoas não se atentem aos detalhes e a informações incorretas;
  • Caso opte por se encontrar com o vendedor/comprador para recebimento do item, prefira locais públicos, como shoppings, supermercados ou estações de metrô.