PUBLICIDADE
Topo

SpaceX enviará 4 pessoas 'comuns' para o espaço; veja como foi a preparação

Membros da missão Chris Sembroski, Hayley Arceneaux, Jared Isaacman e Sian Proctor (da esq. para dir.) durante treinamento simulando gravidade zero - Inspiration4/John Kraus
Membros da missão Chris Sembroski, Hayley Arceneaux, Jared Isaacman e Sian Proctor (da esq. para dir.) durante treinamento simulando gravidade zero Imagem: Inspiration4/John Kraus

Bruna Souza Cruz

De Tilt*, em São Paulo

12/09/2021 12h22

Quatro pessoas comuns (não astronautas profissionais) participarão de uma missão espacial incomum nesta quarta-feira (15). Elas irão decolar em um foguete da SpaceX na primeira viagem do mundo só de civis por vários dias fora da Terra.

Trata-se da missão Inspiration4, que poderá ser acompanhada quase "em tempo real" em uma série documental da Netflix: a "Countdown: The Inspiration4 Mission to Space". O lançamento do foguete da SpaceX terá transmissão ao vivo no canal da plataforma no YouTube.

A viagem está programada para durar três dias. Nela, a tripulação irá aproveitar para coletar dados para pesquisas científicas.

Jared Isaacman, Hayley Arceneaux. Sian Proctor e Chris Sembroski (da esq. para dir.) - Inspiration4/John Kraus - Inspiration4/John Kraus
Jared Isaacman, Hayley Arceneaux. Sian Proctor e Chris Sembroski (da esq. para dir.)
Imagem: Inspiration4/John Kraus

Quem são os viajantes e quem vai pagar por isso?

O bilionário norte-americano Jared Isaacman, 38, é o responsável por custear a aventura dos civis. Fundador da empresa de pagamentos Shift4Payments, ele é um ávido piloto, explorador espacial e estará no comando da missão.

Ele comprou o seu lugar no foguete e o de mais três pessoas, mas o valor não foi revelado. Além de Isaacman, estarão presentes:

- Hayley Arceneaux, 29. Ela tinha dez anos quando foi diagnosticada com um câncer ósseo. Por conta do tratamento, passou a usar uma prótese em uma das pernas. Atualmente, é médica assistente do hospital para crianças St. Jude Children's, em Memphis. Com sua formação, ela será a médica da missão.

- Chris Sembroski, 41. Ele é ex-oficial da Força Aérea dos Estados Unidos. Além disso, é engenheiro de dados e tem em sua trajetória trabalhos voluntários em grupos ligados ao universo da astronomia. Um amigo dele venceu um concurso de arrecadação de verba para o hospital em que Arceneaux trabalha e passou a vaga para Sembroski.

- Sian Proctor, 51. Ela é professora de geociências de uma universidade no Arizona. A docente foi escolhida após participar de um concurso organizado pela empresa de Isaacman. Ela abriu uma loja online que oferece estampas e cartões postais com artes que ela mesma produz. O objetivo é conscientizar e fortalecer o papel de mulheres negras na indústria espacial. Ela já teve experiências com simulações de viagens espaciais anteriormente.

Como foi o treinamento para a missão

Os quatro tiveram seis meses de treinamentos juntos. Nesse tempo eles estudaram manuais e participaram de inúmeros testes físicos.

Médica Hayley Arceneaux em teste da centrífuga - Inspiration4/John Kraus - Inspiration4/John Kraus
Médica Hayley Arceneaux em teste da centrífuga
Imagem: Inspiration4/John Kraus

Um deles envolve uma câmera de centrifugação para simular a força da gravidade nos próprios corpos no ambiente fora da Terra. Basicamente, eles ficaram presos em uma cadeira que ficava girando e se movimentando para criar a força centrífuga.

Médica Hayley Arceneaux em teste da centrífuga em movimento - Inspiration4/John Kraus - Inspiration4/John Kraus
Médica Hayley Arceneaux em teste da centrífuga em movimento
Imagem: Inspiration4/John Kraus

Para que eles sentissem uma sensação parecida, os quatro também participaram de voos que simulam a microgravidade. Nesse tipo de teste, quem está dentro da aeronave consegue sentir por uns 30 segundos a gravidade zero.

Para quebrar o gelo e fazer a tripulação se conhecer, Isaacman os convidou para escalar uma montanha juntos no começo de maio. O lugar escolhido foi o Monte Rainier de Washington, um vulcão ativo coberto de gelo.

Jared Isaacman convidou os três participantes da missão para escalar uma montanha - Inspiration4/John Kraus - Inspiration4/John Kraus
Jared Isaacman convidou os três participantes da missão para escalar uma montanha
Imagem: Inspiration4/John Kraus

"Eles desenvolveram alguma resistência mental. Eles se sentiram confortáveis sendo desconfortáveis. A comida é uma droga na montanha. As temperaturas podem ser uma droga na montanha. Não podemos aumentar e diminuir o termostato [na missão espacial]... E posso dizer que a comida não é boa no espaço, pelo que provamos até agora" Isaacman ao site Insider.

Já na sede da SpaceX, na Califórnia, eles passaram dias com um ritmo intenso de preparação. Segundo o bilionário, eram quase 12h por dia de estudos, que envolveram aulas sobre as partes do foguete e tudo o que pode dar errado, descreveu o site Insider.

Professora Sian Proctor e equipe durante o treinamento antes da missão espacial - Inspiration4/John Kraus - Inspiration4/John Kraus
Professora Sian Proctor e equipe durante o treinamento antes da missão espacial
Imagem: Inspiration4/John Kraus

Depois da aula teórica, a prática. Não no espaço, claro, mas através de simulações dentro da cápsula de passageiros Crew Dragon, que será usada na viagem. Em uma delas, eles vestiram todo o traje espacial e ficaram dentro dela por 30 horas.

Sian Proctor, Chris Sembroski, Jared Isaacman e Hayley Arceneaux (da esq. para dir.) em simulação dento da Crew Dragon - Inspiration4/John Kraus - Inspiration4/John Kraus
Sian Proctor, Chris Sembroski, Jared Isaacman e Hayley Arceneaux (da esq. para dir.) em simulação dento da Crew Dragon
Imagem: Inspiration4/John Kraus

Como será o lançamento

O foguete Falcon 9 enviará a cápsula de passageiros Crew Dragon ao espaço. O seu lançamento será feito do Kennedy Space Center, na Flórida, sudeste dos Estados Unidos. Se o tempo ajudar, tudo acontecerá 21h (horário oficial de Brasília).

Por que a missão é considerada única?

Entre 2001 e 2009, oito civis já estiveram no espaço em viagens turísticas, digamos assim. Eles chegaram até lá a bordo de foguetes russos. Porém, todas as missões tiveram astronautas profissionais acompanhando tudo de perto.

*Com informações do site Space