PUBLICIDADE
Topo

Maior explosão solar desde 2017 provoca breve "apagão" de rádio na Terra

Erupção solar foi registrada pela Nasa - Solar Dynamics Observatory/Nasa
Erupção solar foi registrada pela Nasa Imagem: Solar Dynamics Observatory/Nasa

Renata Baptista

De Tilt, em São Paulo

06/07/2021 13h11

A Nasa registrou, no último sábado (3), a maior explosão solar já observada desde 2017. Ela aconteceu na mancha solar AR2838, às 11h29 (horário de Brasília). Na imagem divulgada pela Nasa, é possível ver a explosão na parte superior direita do Sol.

A erupção foi classificada pelo Space Weather Prediction Center (SWPC), o centro de Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos, como um poderoso evento de classe X, sendo mais especificamente de classe X1.5 na escala que rastreia eventos solares. Ela foi tão forte que provocou um breve "apagão" de rádio na Terra.

De acordo com a Nasa, as explosões solares são poderosas erupções de radiação. As de classe X são o tipo mais forte de erupção solar. Caso ocorram em direção à Terra, podem até colocar astronautas e satélites no espaço em perigo, assim como podem atingir o campo magnético do planeta e interromper algumas comunicações de rádio e degradar os sinais de GPS.

Confira abaixo a região que foi afetada pelo blackout:

O Spaceweather, que rastreia eventos espaciais, informou que a erupção girou para o outro lado do Sol. "A mancha se foi tão rápido quanto apareceu", destacou o portal.

No domingo (4), a explosão girou sobre o noroeste e passará as próximas duas semanas transitando pelo outro lado da estrela.

Os eventos solares são cíclicos. O clima do Sol vive 11 anos com fases ativas, de intensas erupções, dando espaço para períodos de quiescência. Atualmente o sol está na sua 25ª fase ativa, que foi iniciada em 2020.