PUBLICIDADE
Topo

WhatsApp diz que não limitará funções para quem não aceitou novas regras

Estúdio Rebimboca/UOL
Imagem: Estúdio Rebimboca/UOL

De Tilt, em São Paulo

31/05/2021 12h01

A nova política de privacidade do WhatsApp, que permite que a empresa compartilhe alguns dados de contas Business com o Facebook, começou a funcionar no dia 15 de maio. Porém, ao contrário do que estava previsto, a companhia não irá mais forçar as pessoas a aceitarem os novos termos para que elas continuem usando o serviço de mensagens em sua totalidade.

O WhatsApp diz que a decisão ocorreu após conversar com governos. De forma resumida, a empresa não deve mais, pelo menos por enquanto, limitar funcionalidades do app ou ficar mostrando lembretes insistentes pedindo para que as pessoas aceitem a nova política de privacidade.

A própria rede social admite que a "maioria dos usuários já viram a atualização e já a aceitaram".

Em comunicado enviado a Tilt, o WhatsApp afirmou que:

"Dada a recente discussão com diversas autoridades e especialistas em privacidade, o WhatsApp gostaria de esclarecer que não limitará as funcionalidades do aplicativo para aqueles que ainda não aceitaram a atualização da Política de Privacidade. Ao invés disso, o WhatsApp continuará lembrando os usuários de tempos em tempos para que eles aceitem a atualização, incluindo quando as pessoas escolhem usar determinadas funcionalidades opcionais, como se comunicar no WhatsApp com uma empresa que esteja recebendo suporte do Facebook".

No Brasil, órgãos do governo recomendaram o adiamento da nova política de privacidade. Na Índia, outro país em que a plataforma é muito popular, o governo local pediu para que a rede retirasse os novos termos, pois violava leis do país.

Desde janeiro o WhatsApp tenta implementar uma nova política de privacidade. Grosso modo, a companhia diz que ela afeta a comunicação com contas Business do aplicativo.

Quem aceita os termos permite que o aplicativo compartilhe informações com o Facebook de comunicações com empresas. Isso, segundo o Facebook, não vai alterar a segurança do app, pois a comunicação criptografada (protegida) entre as pessoas continuará normalmente.

Anteriormente, para quem não aceitasse a nova política, o WhatsApp iria passar a mostrar avisos e reduzir funcionalidades do app de forma gradual. Basicamente, a pessoa utilizaria o app de forma passiva. Não iria poder acessar seu chat, mas apenas responder notificações ou a chamadas de voz ou vídeo.