PUBLICIDADE
Topo

Destroços de foguete chinês descontrolado devem cair na Terra neste sábado

Restos do foguete chinês Long March 5B, lançado em abril, podem cair na Terra - CGTN
Restos do foguete chinês Long March 5B, lançado em abril, podem cair na Terra Imagem: CGTN

De Tilt, em São Paulo

06/05/2021 11h18

Um enorme lixo espacial de um foguete, pesando algumas toneladas, está em uma rota de reentrada em nossa atmosfera. Pedaços dele devem cair na Terra no próximo sábado (8), segundo previsão divulgada pelo Comando Espacial dos Estados Unidos. A queda deve ocorrer no oceano, a oeste dos EUA — mas não sabemos exatamente onde.

O lixo em questão é um pedaço do foguete Long March 5B, que foi usado recentemente para enviar à órbita o módulo Tianhe, o primeiro da futura estação espacial chinesa. O lançamento foi um sucesso, mas o estágio principal do foguete, que é descartado na subida, não se comportou como planejado.

O Pentágono informou que está rastreando o foguete chinês. O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, "foi informado e sabe que o Comando Espacial está literalmente rastreando esses destroços de foguetes", declarou o porta-voz do Pentágono, John Kirby. "É quase o corpo do foguete, se bem entendi. Está quase intacto", completou.

Ficou a cargo do 18º Esquadrão de Controle Espacial, na Califórnia, atualizar a localização do destroço desde terça-feira (4), como destacou o Comando Espacial dos EUA, por meio de uma mensagem no Twitter. Segundo o órgão, o ponto de entrada exato na atmosfera da Terra não pode ser determinado até poucas horas após sua reentrada.

Composto por um núcleo e quatro motores laterais, o LongMarch 5B não é reutilizável como os foguetes da SpaceX que a Nasa tem usado. O plano era que o estágio central, de 30 metros de comprimento, 5 metros de largura e 20 toneladas, realizasse queimas de combustível para se afastar da Terra. Mas isso parece não ter acontecido.

A agência espacial da China não informou se a parte central do foguete está sob controle ou fará uma descida descontrolada. Detalhes sobre o foguete e sua trajetória são desconhecidos porque o governo chinês ainda não deu informações oficiais sobre a reentrada.

Radares militares dos Estados Unidos estão rastreando o objeto, catalogado como 2021-035B. Ele estava viajando a uma velocidade de mais de 7km/s, a cerca de 300 km de altitude e baixando. Será um dos maiores lixos espaciais da história a cair no planeta.

This morning's data on the altitude-versus-time of the Tianhe / CZ-5B objects. The core stage orbit continues to slowly decay as expected. pic.twitter.com/E8EPJ9yzRu

-- Jonathan McDowell (@planet4589) May 4, 2021

Também não é possível prever como nossa atmosfera irá queimar e despedaçar o objeto — tudo depende da densidade, ângulo e velocidade com que ele avançar, entre outros fatores —, ou mesmo o tamanho das partes que podem sobreviver à reentrada.

Acredita-se que entre 20% e 40% do foguete possa resistir, principalmente os componentes feitos de materiais resistentes ao calor, como tanques e propulsores. Estatisticamente falando, as chances de um fragmento atingir uma área habitada são pequenas (regiões vazias ou água preenchem cerca de 70% da possível área de impacto), mas danos a construções ou ferimentos a seres humanos não foram totalmente descartados.

O primeiro lançamento do Long March 5B, em maio do ano passado, também enfrentou o mesmo problema. O estágio principal caiu descontroladamente seis dias depois, no Oceano Atlântico. Por uma questão de alguns minutos, não atingiu uma grande cidade dos Estados Unidos. Alguns detritos metálicos, incluindo uma espécie de cano de 12 metros de comprimento, caíram sobre a África Ocidental e chegaram a danificar alguns vilarejos.