PUBLICIDADE
Topo

Lua de sangue e chuva de meteoros: confira as novidades do céu de maio

Getty Images
Imagem: Getty Images

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

04/05/2021 15h34

Maio já começou agitado e deve continuar assim até o fim do mês. E não estamos nos referindo às notícias da política em Brasília ou nada desse tipo.

Nos próximos dias vamos ver no céu uma chuva de meteoros e a superlua de sangue. Além disso, vai rolar até um eclipse total da Lua, mas só para quem mora longe do Brasil. Veja abaixo o calendário.

6 e 7 de maio - Chuva de meteoros

O chamado Eta Aquarid é mais que uma simples chuva, é praticamente um toró com até 60 meteoros caindo por hora em seu pico. O mais bacana é que esse temporal todo vai poder ser bem observado aqui no Hemisfério Sul.

[object Object] - Observatório Espacial Heller & Jung - Observatório Espacial Heller & Jung
Sobreposição de imagens de dois dias de observações do céu de Taquara feita pelo Observatório Espacial Heller & Jung
Imagem: Observatório Espacial Heller & Jung

Essa chuva é produzida por partículas de poeira deixadas pelo famoso cometa Halley. Ela ocorre todos os anos de 19 de abril a 28 de maio. Neste ano, o pico acontece na noite do dia 6 a na manhã de 7 de maio.

Para uma melhor visualização é melhor encontrar um local bem escuro depois da meia-noite. Os meteoros irradiam da constelação de Aquário, mas podem surgir em qualquer parte do céu.

11 de maio - Lua Nova

É aquela Lua que não é visível no céu noturno por estar no mesmo lado da Terra que o Sol. Por isso, essa é a melhor época do mês para observar objetos fracos como galáxias e aglomerados de estrelas.

17 de maio - Mercúrio na maior elongação leste

Quer ver Mercúrio? Esse é o melhor momento. Isso porque o planeta estará em seu ponto mais alto acima do horizonte no céu noturno. Vai dar para ver Mercúrio acima do horizonte ocidental assim que o Sol de pôr.

26 de maio - Superlua

Noite de Lua cheia, mas não precisa ter medo de lobisomem. O mais legal é que vai ser também noite de superlua, a mais próxima da Terra neste ano. Ela vai parecer um pouco maior e mais brilhante do que o normal.

De forma resumida, a tal superlua tem relação com a órbita da Lua ao redor da Terra. O trajeto não é de um círculo perfeito, mas de uma elipse (um círculo um pouco achatado). Por isso, ela se afasta e se aproxima de nosso planeta durante sua movimentação pelo universo. O ponto mais distante é chamado de apogeu; o mais próximo, perigeu. Isso não é raro, pois ocorre todos os meses.

A Lua demora aproximadamente 28 dias para dar uma volta completa na Terra, passando por suas quatro fases. Nosso satélite não tem luz própria; brilha porque reflete a luz do Sol. E, como está sempre girando, nós a vemos de diferentes formas com o passar dos dias.

Quando está no perigeu, ela nos parece até 15% maior e 30% mais brilhante. Isso pode ocorrer em qualquer uma das fases; se coincide com a Lua cheia, temos a chamada superlua

26 de maio - Lua de sangue

Nesse dia também vai ter um eclipse lunar total. A Lua, durante o fenômeno, que nada mais é do que sua passagem pela sombra escura da Terra, fica com uma cor vermelho sangue.

Imagem de julho de 2018 mostra Lua de sangue sobre o Cantão de Appenzell, na Suíça - EFE/EPA/CHRISTIAN MERZ - EFE/EPA/CHRISTIAN MERZ
Imagem de julho de 2018 mostra Lua de sangue sobre o Cantão de Appenzell, na Suíça
Imagem: EFE/EPA/CHRISTIAN MERZ

Pena que a Lua de sangue só vai poder ser vista longe do Brasil em locais como o Japão, a Austrália e o oeste da América do Norte.