PUBLICIDADE
Topo

Covid: YouTube irá remover vídeos que recomendem cloroquina ou ivermectina

De acordo com a companhia, só não serão excluídos os vídeos em que haja contexto educacional, documental, científico ou artístico - SOPA Images/LightRocket via Getty Images
De acordo com a companhia, só não serão excluídos os vídeos em que haja contexto educacional, documental, científico ou artístico Imagem: SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

16/04/2021 11h57Atualizada em 16/04/2021 14h53

O YouTube irá remover todos os vídeos que recomendem o uso da hidroxicloroquina ou ivermectina para tratar a covid-19.

A decisão foi adotada nesta semana, com a atualização das regras de conteúdo da plataforma. Os medicamentos têm sido recomendados mesmo sem comprovação científica da eficácia para tratar ou prevenir sintomas da doença.

"Na plataforma, também não é permitido o envio de conteúdo que dissemine informações médicas incorretas que contrariem as orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) ou das autoridades locais de saúde sobre a covid-19", determinam as políticas de uso.

Além da cloroquina e da ivermectina, a plataforma lista que serão removidos os vídeos que contenham os seguintes conteúdos:

  • Tratamento
  • Prevenção
  • Diagnóstico
  • Transmissão
  • Diretrizes sobre distanciamento social e autoisolamento
  • A existência da covid-19

De acordo com a companhia, só não serão excluídos os vídeos em que haja contexto educacional, documental, científico ou artístico.

"Podemos abrir algumas exceções caso o objetivo do vídeo seja condenar ou combater as informações equivocadas que violam nossas políticas. Esse contexto precisa ficar evidente nas imagens ou no áudio do próprio vídeo. Fornecer esses detalhes no título ou na descrição não é suficiente", esclarece a plataforma nas políticas da comunidade.

Em nota ao UOL, o YouTube informou que desde o início da pandemia já removeu mais de 850 mil vídeos por violarem as políticas de conteúdo da plataforma sobre o coronavírus.

Informações incorretas sobre o tratamento

O YouTube considera como informações incorretas sobre o tratamento da covid-19 conteúdos que incentivam medicamentos caseiros, orações ou rituais, em vez do tratamento adequado — consultar um médico ou ir ao hospital.

Cura garantida para covid-19 e desencorajamento de buscar a orientação médica também ferem as diretrizes da comunidade, além da indicação de medicamentos não eficazes.

Informações incorretas sobre o diagnóstico e sobre a transmissão da covid-19, além daqueles que negam a existência da pandemia e do vírus, também serão removidos.