PUBLICIDADE
Topo

Plástico já pode deixar de ser lixo nas ruas para asfaltar estradas

A escocesa MacRebur descobriu um jeito de transformar plástico em rodovias e estradas - Reprodução/Facebook
A escocesa MacRebur descobriu um jeito de transformar plástico em rodovias e estradas Imagem: Reprodução/Facebook

Leonardo Martins

Colaboração para Tilt

22/09/2020 04h01

Sem tempo, irmão

  • Empresa escocesa MacRebur descobriu jeito de converter lixo plástico em matéria-prima
  • Plástico é triturado e misturado a um "ativador" mantido em segredo pela empresa
  • Mistura vira asfalto usado para construir estradas e rodovias

O plástico não virou o inimigo número um do ambiente à toa. Apesar de levar em média 400 anos para se decompor, o material se tornou item mais do que presente no dia a dia —pare e observe quantas coisas feitas de plástico estão ao seu redor neste momento. Mas algumas empresas têm passado a enxergar o plástico usado não mais como lixo, mas como matéria-prima.

É o caso da escocesa MacRebur, com sede nos EUA, que descobriu um jeito de usar plástico no asfalto de rodovias e estradas. Sua tecnologia transforma o "lixo" triturado em um material capaz de substituir os componentes básicos que formam o calçamento. Isso não apenas reduz a quantidade de poluentes do petróleo no asfalto como também reaproveita resíduos de plástico que poderiam contaminar o ambiente.

Inspiração que veio da Índia

Tudo começou depois que o empresário Toby McCartney viajou para a Índia para trabalhar em uma instituição de caridade. Lá, viu que alguns cidadãos tapavam buracos misturando diesel com o lixo plástico separado pelos catadores. Depois de algumas horas, os resíduos derretiam e formavam um enchimento duro. McCartney achou a ideia interessante e logo decidiu importá-la.

Ele se juntou com outros dois colegas para refinar esse processo para que ele não emitisse substâncias tóxicas e, assim, ser capaz de vender a iniciativa como sustentável, barata e inovadora para as autoridades.

Em 2016, eles inauguraram sua linha de produção. A empresa usa todo tipo de plástico (desde materiais industriais até garrafas de plástico) e os trituram em lascas de 5 mm.

Na sequência, conforme detalha o site da companhia, o plástico é misturado a um "ativador" com uma composição mantida em segredo. Essa substância derrete o plástico e faz com que ele vire um composto de resistência semelhante ao asfalto, sendo possível usá-lo na construção de estradas.

Composto é mais resistente que asfalto comum

McCartney afirma que o composto produzido é 60% mais forte que o betume, substância espessa presente no asfalto das estradas tradicionais. Segundo o empresário, sua invenção também é três vezes mais resistente.

"Passamos por cerca de 500 a 600 combinações de polímeros diferentes antes de encontrar um que realmente funcionasse", disse McCartney em entrevista à TV norte-americana CNN.

Segundo um artigo publicado na CNN, em fevereiro, a Malásia enviou 150 contêineres de lixo plástico para países como EUA, Reino Unido, França e Canadá. Isso porque o país asiático virou ponto de remessas de lixo plástico ilegal desde 2018. Mais de 3.000 toneladas de detritos foram devolvidas no total.

A MacRebur está em expansão. Até o momento, há apenas uma fábrica aberta em San Diego, na Califórnia, mas a expectativa do executivo é expandir filiais para Oregon e Washington, principalmente na região de Tri-Cities.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado, a região Tri-Cities não está localizada no norte da capital estadunidense. O erro foi corrigido.