PUBLICIDADE
Topo

Um dia extraordinário, diz 1ª mulher a chegar ao ponto mais fundo da Terra

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

10/06/2020 18h40

Pela primeira vez, uma mulher chegou ao ponto mais profundo da Terra. No último domingo (7), a ex-astronauta da Nasa Kathy Sullivan, de 68 anos, visitou o fundo da Depressão Challenger, quase 11 mil metros abaixo da superfície do Oceano Pacífico, na Fossa das Marianas, próximo às Ilhas Marianas. A pressão no local é cerca de mil vezes maior do que ao nível do mar.

"Como híbrida de oceanógrafa e astronauta, este foi um dia extraordinário, um dia único na vida, vendo a paisagem lunar da Depressão Challenger e depois comparando notas com meus colegas da ISS sobre nossas extraordinárias naves reutilizáveis", disse Sullivan em um comunicado.

Este não é o primeiro recorde da ex-astronauta. Ela entrou para a Nasa em 1978 e fez parte da histórica missão STS-41-G, o sexto voo do ônibus espacial Challenger —coincidência de nomes?— e o primeiro a incluir duas mulheres a bordo. Em outubro de 1984, Sullivan foi a primeira mulher norte-americana a andar no espaço, ao ficar três horas e 29 minutos fora da nave.

Na viagem ao fundo do oceano, Sullivan estava acompanhada de Victor Vescovo, um empresário que também é explorador do oceano profundo. Os dois estavam no submarino Limiting Factor. A dupla ficou cerca de dez horas a bordo, e a descida durou um total de quatro horas.

A aventura histórica foi parte a expedição Ring of Fire, organizada pela empresa Caladan Oceanic, de Vescovo. No ano passado, eles exploraram os cinco pontos mais profundos da Terra. Desta vez, a expedição teve o objetivo de filmar a Depressão Challenger.

Logo após a aventura, a dupla conversou com os astronautas que atualmente estão na Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) e que também fizeram história por viajarem em uma nave privada feita pela SpaceX.

Kathy Sullivan, ex-astronauta da Nasa - Nasa - Nasa
Kathy Sullivan em foto da época em que era astronauta da Nasa
Imagem: Nasa