PUBLICIDADE
Topo

Tá calor aí? Exoplaneta fica tão perto de estrela que chove ferro por lá

O exoplaneta WASP-76b tem calor de 2400 °C, e ventos fortes transportam vapor de ferro para o lado noturno mais frio, onde ele se condensa em gotículas de ferro. - Divulgação/ESO
O exoplaneta WASP-76b tem calor de 2400 °C, e ventos fortes transportam vapor de ferro para o lado noturno mais frio, onde ele se condensa em gotículas de ferro. Imagem: Divulgação/ESO

Letícia Sé

Colaboração para Tilt

11/03/2020 17h07Atualizada em 13/03/2020 10h31

Cientistas acabam de descobrir que um exoplaneta distante, descoberto em 2013, recebe chuva de ferro. O planeta gasoso, chamado de WASP-76b está a 390 anos-luz do nosso sistema solar, ou a 640 anos-luz da constelação de Peixes.

A descoberta surgiu usando o Espresso, espectrógrafo do observatório ESO, no Chile, no ano de 2018. Em um dos lados do WASP-76b é sempre dia, e do outro, noite. Do lado diurno, as temperaturas chegam a 2.400 ºC, recebendo milhares de vezes mais radiação de sua estrela do que a que recebemos na Terra, do nosso Sol. Os metais evaporam no lado claro e, carregados pelo vento, chegam ao lado escuro e frio, onde a temperatura é de 1.500 ºC.

No lado noturno, os metais evaporados se condensam em gotas metálicas. "Esse planeta fica chuvoso à noite, mas chove ferro", diz David Ehrenreich, líder da pesquisa e professor da Universidade de Genebra, na Suíça. Os pesquisadores fazem parte do Observatório Europeu do Sul (ESO) e para a descoberta usaram o Very Large Telescope (VLT).

Os cientistas perceberam as diferenças entre os dois lados do planeta. Assim como acontece entre a Lua e a Terra — em que nós sempre vemos a mesma face da Lua — , o planeta tem uma rotação em que apenas um lado está voltado para sua estrela. Isso porque o tempo de giro do WASP-76b no próprio eixo e o tempo de rotação ao redor de sua estrela são próximos. Também foram descobertas diferenças químicas entre os dois lados do WASP-76b, que se parece com nosso vizinho Júpiter.

"Essa coisa [o exoplaneta] orbita muito perto de sua estrela, está essencialmente dançando na atmosfera externa dela e sendo submetida a todos os tipos de física que, para ser franco, não entendemos realmente", disse uUm dos cientistas da equipe de descoberta, Don Pollacco, da Universidade de Warwick, à BBC. "Ele terminará chegando a estrela`, ou o campo de radiação da estrela explodirá a atmosfera do planeta para deixar apenas um núcleo quente e rochoso".

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado no texto, na rotação entre a lua e a Terra, a mesma face da Lua é sempre voltada para o planeta. O texto dizia que apenas um lado da Lua se iluminava com a luz do Sol. O texto foi corrigido.