PUBLICIDADE
Topo

CPUs da Intel têm falha de segurança impossível de consertar, diz estudo

Processador de oitava geração da Intel, a Coffee Lake - Divulgação
Processador de oitava geração da Intel, a Coffee Lake Imagem: Divulgação

De Tilt, em São Paulo

06/03/2020 11h20Atualizada em 06/03/2020 13h49

Quase todos os chips e CPUs produzidos pela empresa Intel nos últimos cinco anos contêm uma falha de segurança "impossível de consertar", segundo um estudo liderado pelo pesquisador Mark Ermolov. A informação é da Forbes.

O problema nos chips está no CSME (sigla em inglês para Mecanismo Convergente de Segurança e Gerenciamento), uma parte da peça que controla a inicialização do sistema, os níveis de energia, o firmware e as funções criptográficas, que trazem segurança aos arquivos do computador.

De acordo com o estudo, a falha atinge a memória do CSME, e abre espaço para hackers alterarem chaves de criptografia e assim roubarem dados do PC ou notebook. Só CPUs da Intel da 10ª geração em diante estão imunes ao erro.

A exploração desse problema envolveria uma cadeia de estágios. Por exemplo, os hackers precisam ter acesso local ou físico ao computador, para ter a chance de sequestrar a execução do código do CSME usando a falha. Mas, ainda assim, é uma falha que quebra a confiança no sistema, segundo Ermolov.

O pesquisador notou que "medidas mitigadoras", como os ajustes feitos pela Intel nos processadores nas falhas Meltdown e Spectre, em 2018, não são o bastante para sanar completamente o problema de segurança.

Como o código de inicialização e a memória RAM são codificados diretamente nas CPUs da Intel, ambos só podem ser corrigidos ou redefinidos se trocar o material da peça —o silício, no caso. Isso torna impossível para a Intel mitigar, ou corrigir completamente, a vulnerabilidade sem trocar tudo.

A Intel liberou um guia (em inglês) para usuários que quiserem tomar atitudes preventivas de segurança em seus computadores.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS