PUBLICIDADE
Topo

Do tamanho de prédio! Asteroide gigante passará perto da Terra após o Natal

Astrônomos de diferentes partes do mundo enfrentaram o desafio de calcular como desviar um asteroide da rota da Terra  - Getty Images
Astrônomos de diferentes partes do mundo enfrentaram o desafio de calcular como desviar um asteroide da rota da Terra Imagem: Getty Images

Helton Simões Gomes

De Tilt, em São Paulo

19/12/2019 12h16Atualizada em 26/12/2019 22h07

Um grande asteroide vai passar a uma distância relativamente próxima da Terra logo após o Natal neste ano, segundo a Nasa, agência espacial norte-americana. A rocha espacial tem entre 280 metros e 620 metros de diâmetro, algo como a Willis Tower, de Chicago, que possui 110 andares. Com este tamanho, ela é a segunda maior a se aproximar do nosso planeta neste ano.

Chamado de 310442 (2000 CH59), o asteroide deve passar "por aqui" por volta das 7h54 (hora universal) ou 4h54 (horário de Brasília) da próxima quinta-feira (26). Ele estará a 7,2 milhões de quilômetros da Terra.

Apesar de parecer bastante longe do planeta -a Terra fica a cerca de 384 mil km da Lua—, essa distância é relativamente próxima, considerando as proporções astronômicas. Tanto é que a Nasa considerou a aproximação da rocha espacial um evento perigoso.

A observação do corpo é feita pelo Centro para Estudos de Objetos Próximos à Terra (CNEOS, na sigla em inglês). O CH59 é classificado como um "objeto próximo da Terra". Essa atribuição é dada a qualquer corpo que passe a uma distância de até 194 milhões de quilômetros do Sol e a 48 milhões de quilômetros da Terra.

O que torna um corpo celeste perigoso para a Terra é tanto seu diâmetro ser maior do que 140 metros quanto a expectativa de sua trajetória futura chegar a menos de 0,05 unidades astronômicas próximo ao planeta (algo como 7,5 milhões de quilômetros). O CH59 tem pelo menos 280 metros de diâmetro e estará a 7,2 milhões de quilômetros da Terra —portanto, se encaixa neste caso.

"Ao longo de muitos séculos e milênios, esses asteroides podem evoluir e chegar a cruzar a órbita da Terra. Por isso, é prudente monitorá-lo nas décadas a seguir para estudar como a órbita que descrevem pode estar mudando", afirmou Paul Chodas, diretor do CNEOS, à revista Newsweek.

Ou seja, apesar de não chegar a passar raspando no nosso planeta, o asteroide está no radar da Nasa para evitar que qualquer surpresa aconteça.

O asteroide viaja a uma velocidade de 44.256 km/h, algo como 18 vezes a capacidade máxima de um jato F-16, segundo o CNEOS.

Este não será o último asteroide a passar próximo à Terra nesse finalzinho de 2019. Até o fim do ano, outros seis se aproximarão do nosso planeta. Os próximos dois —216258 (2006 WH1) e 2013 XY20— atingirão seu ponto mais próximo nesta sexta-feira (20) e no sábado (21). O primeiro terá entre 200 metros e 440 metros de diâmetro, e o segundo terá até 540 metros de diâmetro.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado anteriormente, o asteroide passará a 7,2 milhões de quilômetros da Terra, e não a 2 milhões de quilômetros. O texto foi corrigido.