Topo

A maioria dos seguidores de Bolsonaro é fake? Entenda

Jair Bolsonaro (PSL) costuma até divulgar decisões diretamente a seguidores - 08.abr.2019 - Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Jair Bolsonaro (PSL) costuma até divulgar decisões diretamente a seguidores Imagem: 08.abr.2019 - Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Luiza Ferraz

Colaboração do UOL, em São Paulo

11/05/2019 04h00Atualizada em 11/05/2019 17h06

Resumo da notícia

  • Jair Bolsonaro (PSL) costuma divulgar decisões diretamente a seus milhões de seguidores
  • Ferramenta, contudo, consegue identificar quantos perfis que seguem o presidente são robôs
  • Porcentagem de Bolsonaro chega a mais de 60% de seguidores falsos na rede social
  • A ex-presidente Dilma Rousseff, por exemplo, tem 47.1% de seguidores 'bots
  • Usuários podem seguir dicas para saber se estão conversando com um robô online

O crescimento das redes sociais como forma de trabalho gera cada vez mais ferramentas de controle de seguidores. É assim que surgiu o Fake Followers Audit, capaz de rastrear quantos deles são perfis falsos, inativos ou robôs. Com o uso cada vez mais político da plataforma, exacerbado por políticos como Jair Bolsonaro (PSL) que costumam até divulgar ações lá primeiro, o serviço é mais do que nunca útil.

Para o cálculo, eles escolhem, aleatoriamente, uma amostra de dois mil seguidores da página a ser analisada. A partir disso, conseguem descobrir a porcentagem de usuários ativos com base na movimentação dessas contas.

Essa é uma preocupação de empresas e das próprias redes sociais. No último ano, o Twitter fez uma 'limpa' de 70 milhões de contas falsas ou suspeitas, chamadas de 'bots' - programas de computador desenvolvidos para imitar o comportamento humano.

"Para o uso político, eles têm chamado cada vez mais atenção. Muitas vezes, curtem e comentam em fotos, em outras, levantam até um assunto nas redes sociais, reagindo da maneira que seus programadores desejam", disse Thiago Rondon, co-diretor do Instituto de Tecnologia e Equidade.

Segundo uma pesquisa feita pelo aplicativo, não deve ser calculada a influência de determinado usuário apenas com base nos seu seguidores. Isso porque, a maioria dos perfis contam com até 30% de fantasmas.

"Lembrando que o resultado não é 100% garantido, e sim uma estimativa de uma amostra de seguidores", afirmou Rand Fishkin, CEO da startup norte-americana, ao UOL Tecnologia.

E como é o perfil de Jair Bolsonaro (PSL)?

Pensando nisso, internautas decidiram fazer a análise do Twitter do presidente Jair Bolsonaro, que conta com mais de quatro milhões de seguidores. Os resultados mostram que 60.9% são contas inativas, equivalente a 2.516,985 milhões.

"Há diversos sites na Internet que vendem serviços com o intuito de gerar curtidas, ou até mesmo para aumentar o número de seguidores de um determinado perfil", ressaltou Randon.

Análise de seguidores falsos na conta de Bolsonaro - Reprodução
Análise de seguidores falsos na conta de Bolsonaro
Imagem: Reprodução

O UOL Tecnologia confirmou os números apresentados, assim como outras amostras: dos dois mil seguidores analisados, 59% não falam português, 61% são perfis criados nos últimos 90 dias e 18% mal contam com fotos, ilustrando apenas o 'ovinho' padrão do Twitter. Veja os cálculos abaixo:

Estatísticas da conta de Bolsonaro. Alguns índices da amostragem do estudo chamam a atenção, como o número de seguidores do presidente com um pequeno número próprio de seguidores (84%), os que seguem um número muito baixo de contas (87%) e os usuários cuja localização não bate com nenhum outro local conhecido (69%) - Reprodução
Estatísticas da conta de Bolsonaro. Alguns índices da amostragem do estudo chamam a atenção, como o número de seguidores do presidente com um pequeno número próprio de seguidores (84%), os que seguem um número muito baixo de contas (87%) e os usuários cuja localização não bate com nenhum outro local conhecido (69%)
Imagem: Reprodução

Mesmo com grande parte dos seus seguidores sendo fantasmas, as contas ativas mostram-se bem fiéis: a métrica que calcula o alcance total e a influência do usuário aponta que o presidente marcou 98 de 100 em engajamento.

"Esse tipo de comportamento não é normal, mas com certeza é possível. Se formos analisar a conta de Donald Trump, vemos que ele conta com um alto engajamento, mas uma grande quantidade de seguidores robôs", explicou Fishkin.

Análise foi feita com base no número de seguidores do presidente - Reprodução
Análise foi feita com base no número de seguidores do presidente
Imagem: Reprodução

Quando analisamos a quantidade de retweets da postagem abaixo, nos deparamos com os seguintes números: dos 5 mil compartilhamentos, apenas 835 (17%) eram de perfis com menos de 10 seguidores - um indicador de que pode ser fake.

Além disso, também pode-se examinar cada nome de usuário com base nos caracteres e quantidade de números deste, por exemplo: Fernand03128596.

"Existe um percentual importante de autores com usernames grandes, mas aqueles que têm muitos números é bem baixo. Minha conclusão a partir desse estudo é que a quantidade de 'bots' retuitando é baixo - algo entre 12% e 17%", afirmou Enor Paiano, diretor do Torabit, empresa especializada em monitoramento digital.

Amor de Bolsonaro pelas redes atrapalha a democracia

Leia mais

Mas esse número não se restringe somente a Bolsonaro. Quando feita a análise da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), 47.1% de seus seguidores são 'bots'. No caso de Fernando Haddad (PT), candidato em 2018, o número é de 48.4%.

"Na eleição, por exemplo, nós verificamos que 40% das menções a Ciro Gomes nas redes sociais eram feitas por robôs", afirmou Paiano.

"Esses números, no entanto, são de perfis que estão postando. Pode estar sendo construído um exército de 'bots' que ainda não começou a postar e estão ganhando base de usuários para serem usados em breve", completou.

Estou falando com um robô?

Em um ano fomentado por discussões políticas na redes sociais, além da dispersão de fake news, contas robôs têm sido ponto-chave nesse tipo de conversa. Muitas vezes, você pode estar discutindo com um 'bot' sem saber disso. Desta maneira, separamos algumas dicas para identificar se um perfil é verdadeiro ou não.

É importante verificar quem é a pessoa com quem você está falando: muitos 'bots' não apresentam fotos de perfil, links ou qualquer informação sobre sua pessoa - e quando apresentam, geralmente são imagens roubadas da internet e nomes gerados automaticamente.

Além disso, muitas vezes sua escrita é muito engessada, com repetições, não compreendendo gírias e textos mais complexos. Se o perfil é muito 'obcecado' por tal assunto, também consta como um sinal, já que são criados com um objetivo e a ordem é cumpri-lo à risca.

Por último, quando estiver dando aquela 'stalkeada', veja seu grupo de amigos. Muitas vezes, os robôs não têm amigos e, quando têm, não trocam mensagens com eles, sendo incongruentes com o número de conexões.

Robôs devem ser combatidos?

Apesar da grande preocupação que os 'bots' vêm causando, Randon também ressalta seus pontos positivos.

"Há casos em que são usados para fiscalizar gastos parlamentares, divulgando as descobertas em suas plataformas. Outros perfis, ajudam as pessoas a acompanharem a vida dos políticos em quem votaram", explicou.

Como esses perfis são programados por seres humanos, é esperado que existam as boas intenções e também as ruins. segundo o especialista, é necessário conversar sobre o assunto e aprender a usar a tecnologia em sua melhor forma.

Bolsonaro não tem controle sobre spam eleitoral? Para juristas, o conhecimento sobre a máquina eleitoral de campanha já o torna responsável

Máquina eleitoral no WhatsApp

Mais Redes sociais