PUBLICIDADE
Topo

Depois de seis meses no espaço, tripulação da ISS retorna à Terra

Tripulação que estava na ISS: Ivan Vagner (esquerda), Anatoly Ivanishin (centro) e Chris Cassidy (direita) - Nasa
Tripulação que estava na ISS: Ivan Vagner (esquerda), Anatoly Ivanishin (centro) e Chris Cassidy (direita) Imagem: Nasa

Em Almaty, Cazaquistão

22/10/2020 06h11

Um astronauta americano e dois cosmonautas russos retornaram à Terra nesta quinta-feira (22), após uma missão de 196 dias na Estação Espacial Internacional (ISS), que começou com o primeiro lançamento espacial durante o confinamento pelo coronavírus.

O astronauta da Nasa Chris Cassidy e os cosmonautas russos Anatoly Ivanishin e Ivan Vagner pousaram 150 km ao sudeste da cidade de Zhezkazgan (Cazaquistão) às 2H54 GMT (23H54 de Brasília, quarta-feira), de acordo com a agência espacial russa Roscosmos.

Os três decolaram em abril, quando metade da população mundial estava confinada para conter a propagação do coronavírus.

Sua missão coincidiu com a chegada à ISS em maio dos primeiros astronautas que decolaram de território americano em quase uma década.

A missão, executada de forma conjunta pelo grupo privado SpaceX do empresário Elon Musk e a Nasa, contribuiu para estimular uma nova "corrida espacial" entre vários países.

Antes de retornar de sua terceira missão no espaço, Cassidy, um ex-SEAL americano de 50 anos, tuitou uma foto de mostras de sangue que os astronautas foram obrigados a tirar em vários momentos da missão.

"Qual o preço de uma corrida para voltar à Terra? 8 tubos de sangue! Os 7 desta foto foram tirados durante a manhã para colocarmos em nosso freezer, e o 8º será tirado antes de retornar para ser processado assim que pousarmos", escreveu Cassidy.

Vagner, que viajou ao espaço pela primeira vez, é uma das poucas presenças da Roscosmos na rede social, onde a maioria dos astronautas da Nasa tem uma conta.

"Mamãe, estou voltando para casa", tuitou o cosmonauta de 35 anos na quarta-feira.

Ivanishin completou sua terceira missão. Em 13 de outubro, um foguete Soyuz MS-17 com a americana Kathleen Rubins e os russos Serguei Ryzhikov e Serguei Kud-Sverchkov a bordo, acoplou à estação para o rodízio da tripulação.

A ISS é um dos poucos exemplos de cooperação entre Washington e Moscou.

Em novembro, o laboratório espacial permanente completará 20 anos, mas a estação deve ser desmantelada na próxima década devido à deterioração estrutural.