PUBLICIDADE
Topo

Akin Abaz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Produtos da Apple são caros, mas por que preço não afasta os seus fãs?

Apple
Imagem: Apple
Conteúdo exclusivo para assinantes
Akin Abaz

Akin Bakari D'Angelo dos Santos é fundador da InfoPreta e homem trans. Um curioso nato e um amante do desconhecido, sempre se interessou por montar, desmontar e entender o funcionamento dos eletrônicos. Fez cursos técnicos na adolescência e, aos 15 anos, já atuava na área da indústria com manutenção eletrônica de maquinário pesado. Em 2011, começou a consertar computadores em seu quarto e dois anos depois fundou a InfoPreta, empresa de serviços de manutenção que tem por objetivo inserir pessoas negras, LGBTQI+ e mulheres no mercado tech, aliando lucros a projetos sociais de grande impacto.

Colunista do UOL*

26/09/2021 04h00

Sendo fã da Apple ou não, você provavelmente se deparou com pelo menos uma informação sobre o evento anual da empresa. Ela realiza o evento para apresentar novos produtos e atualizações, fazendo muita gente parar tudo e acompanhar as novidades que às vezes nem são tão novidades assim,

Neste ano, o foco da companhia foi a Apple TV+, plataforma de streaming que concorre com as já conhecidas Netflix e Amazon Prime Video. A nova geração de iPad mini também roubou a cena, com aperfeiçoamentos consideráveis no desempenho. Mas é claro que todos os olhares estavam atentos a ele: o iPhone 13.

Algumas semanas atrás saíram rumores de que a nova versão do iPhone não teria entrada para carregador, sendo possível apenas o carregamento sem fio. A informação repercutiu mal, já que nas versões anteriores o fone e a tomada já haviam sido retirados. Mas antes mesmo do evento a Apple já tinha desmentido o rumor e o novo aparelho segue acompanhado do cabo para carregamento e transferência de dados.

É claro que quem curte muito tecnologia, adora inovações que facilitam nossa vida. Mas, levando em consideração que o iPhone é um aparelho de alto valor, é complicado pensar em ter que comprar por fora produtos necessários para conseguir utilizá-lo.

O iPhone 13 segue com entrada para fio e traz mais algumas inovações muito bacanas. Assim como o iPhone 12, tem quatro versões: iPhone 13, 13 mini, 13 Pro e 13 Pro Max. Em relação às duas primeiras versões, ambas têm as mesmas características, o que muda é o tamanho da tela. Os dois aparelhos suportam a internet 5G, possuem o processador A15 Bionic e têm três opções de memória: 128 GB, 256 GB e 512 GB.

Os pontos altos de melhoria foram na bateria e na câmera. O iPhone 13 promete ter duração de duas horas a mais que o iPhone 12 e a bateria do iPhone 13 mini pode durar até uma hora e meia a mais que a do iPhone 12 mini.

Em relação às câmeras, são duas traseiras com 12 MP, uma grande angular e outra ultrawide. O iPhone 13 consegue aplicar o modo retrato, no qual o fundo fica desfocado em relação ao objeto, nos vídeos também.

Já as versões mais robustas —o 13 Pro e 13 Pro Max— seguem a principal característica do 12 Pro e 12 Pro Max e possuem três câmeras traseiras. Além das duas lentes das versões mais simples, possui uma lente telefoto, com zoom óptico de 3x.

Junto com um processador potente, os aparelhos contam com uma placa de vídeo de cinco núcleos, permitindo o processamento de gráficos mais pesados. A diferença entre as duas versões é que o 13 Pro Max possui uma tela maior e a bateria mais potente.

Fãs da Apple

Um dos grandes marcos da história de inovação da Apple é o iMac G3. O computador de mesa com o gabinete azul translúcido foi lançado com a proposta de ser o equipamento do novo milênio. Desde então, a empresa foi investindo em equipamentos eficientes, sem esquecer do design moderno.

Ao longo dos anos a Apple se aventurou em iPods, Apple Watches, iPads e vários outros produtos que são criados para funcionar muito bem entre si, estimulando o usuário a adquirir vários gadgets diferentes da marca. E uma vez cliente da Apple, dificilmente a pessoa não permanece fiel à marca. Isso se deve tanto à qualidade dos produtos quanto ao atendimento prestado pela empresa.

Durante muito tempo algumas pessoas tiveram medo de comprar produtos da marca, principalmente computadores e notebooks, e não conseguir consertar caso apresentasse algum defeito.

A Apple tem um sistema operacional próprio, o que pode dificultar a manutenção. Mas também ajuda muito em casos de celulares furtados ou roubados, já que é muito difícil acessar o aparelho caso ele esteja bloqueado.

Mas assim como a tecnologia avança, quem trabalha com ela também se especializa. Lá na InfoPreta nós realizamos manutenções em máquinas da Apple e prestamos serviços relacionados ao software e ao hardware.

Outro atrativo é o design inovador característico da Apple que não encanta apenas usuários, já que algumas empresas foram acusadas de copiar os modelos dos iPhones.

O estilo dos produtos caiu nas graças dos amantes de tecnologia, e não apenas quem trabalha com ela, porque, na verdade, todo mundo quer um aparelho que funcione bem e seja legal de mostrar.

Fora que vivemos em uma sociedade capitalista, e é claro que a Apple se tornou sinônimo de bom gosto, então quem possui um produto da marca, se sente parte de um grupo específico. É aquela velha história: "quem está fora quer entrar, mas quem está dentro, não sai".

* Colaborou Rhayssa Souza, jornalista e redatora de conteúdo da InfoPreta

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL