PUBLICIDADE
Topo

Akin Abaz

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quer aproveitar melhor seu computador? Fique de olho no Windows 11 desde já

Divulgação/ Microsoft
Imagem: Divulgação/ Microsoft
Akin Abaz

Akin Bakari D'Angelo dos Santos é fundador da InfoPreta e homem trans. Um curioso nato e um amante do desconhecido, sempre se interessou por montar, desmontar e entender o funcionamento dos eletrônicos. Fez cursos técnicos na adolescência e, aos 15 anos, já atuava na área da indústria com manutenção eletrônica de maquinário pesado. Em 2011, começou a consertar computadores em seu quarto e dois anos depois fundou a InfoPreta, empresa de serviços de manutenção que tem por objetivo inserir pessoas negras, LGBTQI+ e mulheres no mercado tech, aliando lucros a projetos sociais de grande impacto.

Colunista do UOL*

11/07/2021 04h00Atualizada em 11/07/2021 14h22

Os dois sistemas operacionais mais usados no mundo são o Windows 10 e o Windows 7. De acordo com dados da Forrester Research, mais de 900 milhões de computadores utilizam alguma versão do sistema operacional da Microsoft. Parece um número enorme e talvez exagerado, mas eu duvido que você não tenha utilizado o Windows pelo menos uma vez na vida.

Aliás, assim como eu, provavelmente a maioria das pessoas teve o primeiro contato com um computador através dele. Se considerarmos os brasileiros maiores de 25 anos (os cringes), provavelmente eles começaram a vida de internauta utilizando o Windows XP ou Vista, lançados em 2001 e 2006 respectivamente.

As características mais marcantes do sistema operacional vieram com o Windows XP. Provavelmente enquanto eu citar o plano de fundo mais conhecido do mundo que tinha montanhas verdes e céu azulado, a barra de tarefas na cor azul, o menu Iniciar chamativo em verde e as cores vivas, você vai fechar os olhos e lembrar do tempo passado criando grandes obras artísticas no Paint ou jogando Campo Minado.

O Windows Vista é considerado por muitos um fracasso, já que recebeu duras críticas pelo seu desempenho. Mas logo depois chegou a vez do Windows 7, que além do nome, trouxe muitas diferenças no quesito melhorias, com suporte para discos rígidos virtuais (sistema gratuito de armazenamento de arquivos) e mais segurança.

A partir dele, as versões do Windows passaram a seguir a ordem crescente dos números e, até chegar à versão 10 utilizada atualmente, houve muitas mudanças. O mouse e o teclado tornaram-se substituíveis por touch e voz, a interface ficou mais moderna, o menu Iniciar sumiu e o Windows 10 chegou para ser conhecido como o sistema operacional do futuro.

O que mudou

Até o Windows 10, as atualizações principais eram lançadas duas vezes por ano. Agora, a proposta é que o Windows 11 só ganhe um grande upgrade em meados de 2022. Isso porque, convenhamos, a demora para baixar algumas atualizações com poucas mudanças incomoda bastante gente. Então, a intenção da Microsoft é melhorar a experiência do usuário, oferecendo updates menores e mais rápidos de instalar.

Em relação às mudanças visuais, o sistema ficou mais clean e minimalista, com ícones mais modernos, possibilidade de centralizar os ícones na barra de tarefas e organizar janelas lado a lado.

A acessibilidade também é outro ponto que recebeu melhorias, e a Microsoft promete que esta será a versão mais inclusiva do sistema, com uma nova interface no menu configurações e ferramentas como "lupa" e "narrador" funcionando com mais eficácia e em mais situações, como no pacote Office.

Além disso, o Windows 11 poderá ser utilizado no modo claro ou escuro e os sons do sistema são diferentes em cada um. O som ao iniciar o PC está de volta e há temas de contraste para pessoas com deficiência visual.

Por que atualizar?

Uma das dicas que sempre dou para os clientes da InfoPreta é manter seus equipamentos atualizados. Assim, é possível utilizar um sistema operacional com menos falhas e melhor performance, além de aproveitar novos recursos e experimentar mais segurança.

A versão teste do Windows 11 já foi liberada e a previsão é que a versão final do sistema operacional esteja disponível para o público até o início de 2022, mas a galera otimista acredita que em outubro já possamos utilizá-lo.

O sistema operacional será disponibilizado gratuitamente para os usuários da atual distribuição, mas alguns requisitos mínimos como um processador de 64 bits dual-core de 1GHz, 4 GB de memória RAM, tela de 9 polegadas com resolução de 1366x768 devem ser atendidos.

Além de abandonar os sistemas de 32 bits, a Microsoft não permitirá que aparelhos de 8 polegadas como minitablets recebam o sistema. Logo, se seu equipamento não atende às exigências, serão necessários alguns upgrades para aproveitar o Windows 11.

* Colaborou Rhayssa Souza, jornalista e redatora de conteúdo da InfoPreta

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL