PUBLICIDADE

Topo

Para homenagear o pai, ele criou o melhor jogo não-oficial de "Mega Man"

"Mega Man Rock N Roll" é um jogo grátis feito pelo alemão Dennis Engelhard, de 37 anos - Reprodução
"Mega Man Rock N Roll" é um jogo grátis feito pelo alemão Dennis Engelhard, de 37 anos
Imagem: Reprodução

Rodrigo Lara

Colaboração para o START

21/12/2019 04h00

O que você faria para homenagear uma pessoa querida que já não está entre nós? A escolha do alemão Dennis Engelhard, de 37 anos, foi criar um game.

Assim nasceu "Mega Man: Rock n Roll", jogo que pode ser baixado gratuitamente no site de Dennis. Eu, como fã do robozinho azul, posso afirmar que é um dos melhores games relacionados à franquia que já experimentei. E ele ficou ainda melhor depois que ouvi Engelhard contar a história do seu desenvolvimento.

"Eu comecei o projeto em setembro de 2017. Naquele momento, meu pai já estava muito doente e tinha tido vários AVCs. O cérebro dele estava muito afetado por isso. Nos dias ruins, eu sequer tinha certeza que ele me reconhecia quando eu estava visitando", conta.

Como forma de relembrar os bons momentos, Engelhard começou a jogar games que marcaram a sua infância, mas havia um especial. "Um que nós jogávamos feito loucos era 'Mega Man in Dr. Wily's Revenge', no Game Boy [game lançado em 1991 exclusivamente para o portátil]".

A referência a "Dr. Wily's Revenge" pode ser vista pelos jogadores que terminarem "Rock n Roll", bem como uma mensagem que Engelhard deixou em homenagem a seu pai, que diz: "As melhores lembranças da minha infância são de jogar esses games com você".

"Então, sim, todo o projeto é uma carta de amor à minha infância, meu pai e à série de games que jogamos juntos 27 anos atrás. Ele morreu no início do ano passado", relembra.

Mega Man Dr. - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Eu comecei o projeto em setembro de 2017. Naquele momento, meu pai já estava muito doente e tinha tido vários AVCs
Dennis Engelhard, criador do "Mega Man Rock n Roll"

Faça você mesmo

Além de "Dr. Wily's Revenge", Dennis conta que também jogou os games clássicos lançados para o Nintendinho e acabou parando em "Mega Man Unlimited", jogo feito por um fã e lançado em 2013. "Fiquei muito impressionado com o que um fã poderia fazer", conta.

Essa impressão deixada por "Mega Man Unlimited" acabou motivando Engelhard a tentar criar seu próprio game. O primeiro passo foi descobrir como seria difícil programar uma física igual à vista nos jogos da série. "Quando eu tinha o básico feito, eu comecei a criar os oito Robot Masters e o resultado é 'Rock n Roll'", explica ele.

Para criar o jogo, Engelhard usou um motor gráfico chamado Godot Game Engine. "É uma ferramenta que pode ser usada para criar games de estratégia, FPS ou, como no meu caso, jogos de plataforma. Ela vem 'vazia', então tudo relacionado ao jogo, como movimentação, gravidade, controles, eu acabei fazendo do zero, levando apenas os jogos clássicos de 'Mega Man' como referência".

Uma das marcas dos games da série "Mega Man" é o design das fases, que geralmente coloca o jogador em situações difíceis, mas raramente injustas. Para chegar ao equilíbrio em "Rock n Roll", Engelhard diz ter usado a velha tática do "tentativa e erro".

"Foi algo complicado, de início. Tive pelo menos umas cinco fases prontas que eu acabei jogando fora e recomeçando".

Mega Man Splash - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Uma ajuda para a criação dessas fases veio do fato de Engelhard praticar e gostar de speedrunning. "Eu não sou um profissional, mas apenas por praticar um pouco é possível ver o quão incrivelmente bem feitos são os estágios dos jogos clássicos. Em muitos casos, todos os elementos são colocados perfeitamente de maneira que você pode se mover e atirar nos inimigos de maneira constante. E o mais impressionante é que isso foi feito antes mesmo de speedrun ser algo famoso. Era apenas uma forma de recompensar o jogador por ser bom".

Eu não sou um profissional, mas apenas por praticar um pouco é possível ver o quão incrivelmente bem feitos são os estágios dos jogos clássicos

Ele diz que quis colocar essa sensação em "Rock n Roll" de maneira que, se o jogador for bom, ele poderá se mover sem parar pelas fases. "Eu acho que é um ponto-chave para um jogo de 'Mega Man' feito corretamente".

A criação dos chefes de fase, os Robot Masters, acabou sendo diretamente influenciada pelos temas das fases, que se passam em locais como um vulcão, uma fábrica, o Pólo Norte etc. Assim nasceram Drake Man, Polar Woman, Reactor Man, Ghost Woman, Beetle Lady, Dune Woman, Missile Man e Tidal Man.

Parceira ideal

Mega Man Roll - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

O papel de Roll, a irmã de Mega Man, em "Rock n Roll" não fica restrito ao nome do game. Ela é personagem fundamental e traz como habilidade exclusiva o pulo duplo, o que torna a exploração das fases mais fácil do que com Mega Man e também permite que só ela alcance alguns lugares. Mega Man, por sua vez, tem como exclusividade o tiro carregado e é mais resistente a danos.

A presença de Roll tem tudo a ver com o enredo do jogo, uma vez que tudo começa quando alguns robôs, incluindo Mega Man, são capturados. Ela então pede para que Dr. Light a transforme em um robô de batalha.

A possibilidade de controlar outro personagem não é exatamente nova nos jogos oficiais da série, uma vez que jogos como "Mega Man & Bass" e "Mega Man 10" já permitiam isso. O que Engelhard fez, no entanto, foi dar uma dimensão mais cooperativa a essa possibilidade: em vez de escolher um personagem e jogar toda a história com ele, você escolhe qual deles vai usar no começo de cada fase.

É um conceito que, inclusive, poderia facilmente ser usado em jogos oficiais da série (ouviu, Capcom?).

"Quando eu criei o meu próprio jogo, eu comecei a colocar características que eu queria ver no conceito de ter dois personagens unindo forças, ao ponto de haver algumas lutas contra chefes nas quais você usa os dois personagens na mesma luta. E eu sempre gostei da Roll, então achei que era uma boa chance de dar mais destaque a ela", explica.

E o futuro?

Após o lançamento de "Mega Man: Rock n Roll", Engelhard diz que não descarta criar novos jogos. "Não tenho planos muito específicos, mas é provável que faça outro jogo, eu realmente curti fazer 'Rock n Roll'. Além disso, pessoas no meu Discord já falaram que gostariam de ver um game totalmente inédito".

Além de receber elogios da comunidade por "Rock n Roll", o game também ajudou Engelhard a trocar de emprego. "Eu trabalhei no ramo de impressão por 17 anos, mas com tudo indo para o digital, não havia futuro nesse tipo de trabalho. No início desse ano eu resolvi mudar, então coloquei alguns vídeos de 'Rock n Roll' no meu currículo e me candidatei a várias vagas de programador. No momento eu trabalho em desenvolvimento web e animação para uma pequena agência de publicidade", conta.

Com "Mega Man: Rock n Roll", portanto, Engelhard conseguiu não apenas agradar uma comunidade bastante exigente, mas também ter um portfólio para mudar de emprego. E, claro, o mais importante: criar um game capaz de honrar a memória do seu pai.